Blog do Juarez

Um espaço SELF-MEDIA


Deixe um comentário

Rape-aXe, o pesadelo dos estupradores…

Imagem:  site oficial http://www.antirape.co.za/images.htm

Trata-se de uma "camisinha feminina" colocada na vagina como um tampão,  não ficando portanto aparente, mas a Rape-aXe conta com uma interessante e "cruel" peculiaridade…, é anti-estupro e possui farpas internas que se enterram no pênis do estuprador no primeiro movimento de "saída", causando um enorme "desconforto".

A "camisinha que morde" foi inventada na África do Sul em 2005 por  Sonnet Ehlers, uma sul-africana cansada de testemunhar casos de atendimento pós-estupro em números elevados e crescentes.

E não fica só por ai,  além de "cortar o barato" do estuprador logo de início, o artefato fica preso e só pode ser retirado cirurgicamente, o que leva à fácil identificação e prisão do agressor.

Apesar de não evitar o assalto sexual e penetração inicial, a "camisinha que morde" já começa marcando pontos pelo psicológico, em uma determinada cidade por exemplo, tão logo começou a ser divulgada, reduziu a zero por 3 meses os estupros, que tem se mantido em números reduzidíssimos, na dúvida os potenciais estupradores tem preferido não arriscar.

Outra vantagem é em ocorrendo o assalto sexual,  evita a contaminação por HIV e outras doenças ou gravidez, situação comum nesses casos; e como já dito facilita a identificação do criminoso.

Para a copa de 2010 na África do Sul, essa é uma das grandes apostas para reduzir a violência sexual.

Por outro lado…, fico pensando no  "uso reverso" que mulheres "mal-intencionadas e vingativas "  poderiam fazer da "mordedora" com por exemplo "maridos infiéis" ou  violentos…;  também dá para imaginar o inusitado "mico" de alguém chegando em um pronto-socorro com uma dessas presa no dedo…:), mas podia ser muito  pior… 


Deixe um comentário

Rape-aXe, o pesadelo dos estupradores…

AntiRape300x200

Imagem:  site oficial http://www.antirape.co.za/images.htm

Trata-se de uma “camisinha feminina” colocada na vagina como um tampão,  não ficando portanto aparente, mas a Rape-aXe conta com uma interessante e “cruel” peculiaridade…, é anti-estupro e possui farpas internas que se enterram no pênis do estuprador no primeiro movimento de “saída”, causando um enorme “desconforto”.

A “camisinha que morde” foi inventada na África do Sul em 2005 por  Sonnet Ehlers, uma sul-africana cansada de testemunhar casos de atendimento pós-estupro em números elevados e crescentes.

E não fica só por ai,  além de “cortar o barato” do estuprador logo de início, o artefato fica preso e só pode ser retirado cirurgicamente, o que leva à fácil identificação e prisão do agressor.

Apesar de não evitar o assalto sexual e penetração inicial, a “camisinha que morde” já começa marcando pontos pelo psicológico, em uma determinada cidade por exemplo, tão logo começou a ser divulgada, reduziu a zero por 3 meses os estupros, que tem se mantido em números reduzidíssimos, na dúvida os potenciais estupradores tem preferido não arriscar.

Outra vantagem é em ocorrendo o assalto sexual,  evita a contaminação por HIV e outras doenças ou gravidez, situação comum nesses casos; e como já dito facilita a identificação do criminoso.

Para a copa de 2010 na África do Sul, essa é uma das grandes apostas para reduzir a violência sexual.

Por outro lado…, fico pensando no  “uso reverso” que mulheres “mal-intencionadas e vingativas ”  poderiam fazer da “mordedora” com por exemplo “maridos infiéis” ou  violentos…;  também dá para imaginar o inusitado “mico” de alguém chegando em um pronto-socorro com uma dessas presa no dedo…:), mas podia ser muito  pior… 


Deixe um comentário

"A vida como ela é"

Não gosto de ler "imprensa marrom" nem ver programas idem, daqueles que ficam fazendo sensacionalismo e  explorando casos policiais etc…, mas hoje li no principal jornal da cidade (que não segue a linha), um caso que talvez até o grande teatrólogo Nelson Rodrigues em suas peças recheadas de perversões (para muito além do sentido e delimitações Freudianas para o termo…) não tivesse imaginado.

Uma garota de 12 anos, era costumeiramente abusada sexualmente pelo padrasto, e como é padrão ao contar para a mãe a mesma não acreditou (até ai a história é  infelizmente "clássica e cotidiana" ); a "solução caseira" foi o envio da garota para a casa do pai; que pouco tempo depois, sabendo do "motivo do exílio" da filha, também passa a abusá-la…, fato descoberto, testemunhado e denunciado por vizinhos; nova "solução caseira" transferir a garota para a casa da tia (irmã do pai), onde se ficou sabendo que não apenas o pai abusava da menor, como também um irmão… .

Só espero que "tios"  e primos sejam menos "vorazes" …

Triste, mas é " a vida como ela é"…

Link para a notícia: http://www.acritica.com.br/content/not-detail.asp?materia_id=158313

Mas podemos reduzir isso, faça sua parte, divulgue o Disque Denúncia Nacional ou de Manaus :0800 92 14 07, ambos números podem ser utilizados.