Blog do Juarez

Um espaço SELF-MEDIA


Deixe um comentário

Meus 6 motivos para não votar no PSDB (principalmente em Manaus)

Imagem “emprestada” do “Blog da Coroa”

Motivo nº 1-  O PSDB é um partido que está na contra-mão dos interesses populares, sempre se aliando à todos que defendem os interesses das classes abastadas, não quero a administração da cidade que vivo na mão desse pessoal .

Motivo nº 2- O PSDB é inimigo de quem tem se mostrado amigo e parceiro do povo (principalmente do amazonense), se não estamos na mesma crise que os EUA e os Europeus é porque desde 2003 ele (o PSDB) não está no poder central, se tanta coisa boa tem ocorrida nos últimos anos no país, no nosso estado e na nossa cidade idem .

Motivo nº 3- O PSDB é inimigo da Zona Franca de Manaus, agora mesmo tem caciques do partido em SP tentando novamente prejudicar a ZFM (vide nova ADI), quem não concorda com isso já deveria ter saido do partido, se não saiu é porque prefere a parceria  dos inimigos da ZFM, e os inimigos da ZFM não são meus amigos, nem do povo de Manaus, nem levam meu voto.

Motivo nº 4 – O PSDB é aliado do DEM, partido que tem demonstrado ser pró-ruralistas, anti-reforma agrária, anti-indígenas, anti-quilombolas , anti-código florestal, ou seja, anti-povo.

Motivo nº 5 – São os “tucanos” que quando estão no poder, agem com arrogância e TRUCULÊNCIA  contra os que por desventura lhes causem “embaraços”  aos seus planos nada populares, mas isso é filme antigo…, vai uma reprise ai ?

Motivo nº 6 – SOU NEGRO, nunca poderia votar em partidos que de tudo fizeram para tentar impedir conquistas efetivas da população negra em prol de uma igualdade efetiva e não meramente formal, como a “tesourada” no ESTATUTO DA IGUALDADE RACIAL, ou através da campanha contra a aprovação das cotas universitárias, contra a regularização das terras quilombolas entre outras coisas.

Enfim, tiro no pé eu não dou…, entre o mal conhecido e a esperança do bem  ainda não testado, vou pela segunda opção… .


Deixe um comentário

Enquanto isso a SAGA secular dos Mura tentando resistir à ganância dos invasores continua…

Para variar  metido na história tem “aquele”  grupinho conhecido aqui do Amazonas “que não é índio, não é negro e não é branco” repetindo a mesma campanha anti-indígena que fez no caso da terra indígena Raposa-Serra-do-Sol… vide excelente reportagem em A crítica: http://acritica.uol.com.br/blogs/blog_da_elaize_farias/dificil-demarcacao-terra-indios-mura_7_781791816.html


53 Comentários

Notebook antigo em TV antiga ? conexão fácil fácil….

Minha velha TV de CRT, plugada no Google via notebook.

Ver coisas que estão no notebook na telona da TV é uma ideia muito agradável para quem gosta de jogar, assistir um filme (em arquivo ou online), curtir um videokê  ou até mesmo navegar pela web, se tanto seu notebook ou tablet são “top de linha”, não tem o menor problema, basta liga-los através de cabo pelas respectivas saída/ entrada HDMI e pronto,  mas e para equipamentos não tão novos ?, (como é o meu caso, com um já surrado Acer TRAVELMATE 5520 e uma TV LG de tela plana mas ainda CRT) .

Vi verdadeiras brigas pela web em se tratando do tema (propondo conversores, etc..); bem, depois de boa pesquisa resolvi testar duas possibilidades simples e sem conversores, apenas com cabos (já que meu notebook como a maioria de seus contemporâneos possui apenas duas saídas de vídeo externo e ambas analógicas  ( VGA  e  S-Vídeo de 7 pinos) ), optei por utilizar a saída S-Vídeo (se você não tiver pode ser a VGA),  já pelo lado da TV só tinha duas possibilidades, entrada de vídeo composto (conector RCA único, daqueles que servem para ligar desde videocassetes até aparelhos de DVD mais antigos)  e entrada tipo COMPONENTE (3 entradas RCA de cores azul, verde e vermelha), estes cabos tem fácil e barato nas boas lojas do ramo de componentes eletrônicos e som/TV.

Na dúvida comprei os dois cabos, um com ponta S-vídeo de 7 pinos e  a outra ponta COMPONENTE (3 RCAs),  e o segundo com uma ponta S-Vídeo de 4 pinos e a outra ponta vídeo composto (RCA simples).

Resultado:  o primeiro fez a conexão mas não aparecia as cores, DESCARTADO…, o segundo funcionou 100% de primeira… ; resolvido o problema de imagem, veio a parte do SOM, bastando para tal ligar a saída de fone do ouvido do notebook  na entrada AUXILIAR da TV (duas entradas RCA em vermelho e branco ), como tenho um HOME TEATHER, testei também na entrada AUXILIAR do mesmo, funcionou perfeitamente e vai ficar assim 🙂 (detalhe, se for usar home teather não esquecer de mudar a função para AUX, ah ! e ao conectar o note na TV esteja com o note desligado para que ele reconheça a TV como segunda tela, além disso lembre a sua velha TV não é HD, portanto reduza a resolução de tela no note para 800×600, vai visualizar bem melhor…)

Esquema de ligação

Notebook , TV  e Home Teather conectados para assistir filmes online via Netflix

Para Netflix tem mais uns detalhes…, ver em https://blogdojuarezsilva.wordpress.com/2013/08/24/netflix-em-tv-antiga-nao-tao-dificil/

Prontinho ! é isso ai, testado e aprovado, sem conversores, sem polêmica e baratinho (13 reais) :


132 Comentários

Tablet com teclado físico não acentua ? seus problemas acabaram…

Usar o Tablet com teclado físico é muito interessante (principalmente se for um com sistema Android), o problema é que o Android não reconhece diretamente os acentos da maioria dos teclados portáteis (que são padrão PC), para resolver isso  tem 3 soluções :

A 1ª  é ir até o Google Play (antigo Market) e procurar por um aplicativo chamado   External Keyboard Helper Pro  (é pago mas baratinho e vale a pena ) esse apk  não faz que seu teclado seja automaticamente reconhecido e utilize a acentuação corretamente, mas acrescenta um método extra de teclado externo, que você pode selecionar e configurar… é fácil, depois de instalado o apk e  plugado o teclado, basta clicar em um pequeno ícone de teclado que aparecerá na barra de ferramentas embaixo e a direita, é bem intuitivo, escolha o tipo de teclado que você tem (em geral ou é Português Br  ou  English US/international  se não tiver cedilha)  e pronto (ah! tem que alterar o método de teclado Android para External Keyboard Helper Pro, toda vez que for utilizar o teclado físico) .

A 2ª é para o caso de você  não estar podendo temporariamente utilizar o google play com apks pagas, por falta de cartão de crédito ou  pelo play não  estar aceitando o seu por “motivos misteriosos”, isso apenas se você estiver muito a fim de “testar” a versão full…(“temporariamente” é claro… :-)) por sua conta e risco…, a dica  funciona para qualquer apk paga…, basta usar qualquer máquina de busca procurando pelo nome do aplicativo e no final adicionar .apk, encontrando é só baixar, no caso em questão a busca seria por algo “mais ou menos” assim… : External Keyboard Helper Pro v4.6 apkmania.com.apk  (pode fazer do desktop e depois transferir para o tablet), depois com o aplicativo de instalação do próprio Android ou o Astro File Mananger, instalar o .apk, pronto, fácil não ?

Agora se acha melhor não usar nenhum dos dois primeiros métodos, pode simplesmente  utilizar alguns atalhos padrão de teclado (anote ou imprima em etiquetas adesivas, recorte e cole nas áreas livres da capa/ teclado) :

ACENTOS

Para inserir acentos, primeiro pressione e libere SIMULTANEAMENTE as teclas Alt e Shift
e digite a letra indicada na tabela.

acento grave ou crase    ( ` )                        ALT+SHIFT+Q+letra
acento agudo                  ( ´ )                        ALT+SHIFT+E+letra
trema                               ( ¨ )                        ALT+SHIFT+U+letra
cedilha                             ( ç )                       ALT+SHIFT+C
circunflexo                       ( ^ )                       ALT+SHIFT+I+letra
til                                     ( ~ )                        ALT+SHIFT+N+letra

Outros símbolos úteis

Alt+Shift+p   £ Libra esterlina
Ctrl+Fn+p    © Copyright
Ctrl+Fn+.     ° Graus
Ctrl+Fn+i     ÷ Dividir
Ctrl+Fn+q    ¶ Parágrafo
Ctrl+Fn+r     ® Marca registrada
Ctrl+Fn+s     § Seção

É isso, seus problemas acabaram !


Deixe um comentário

Adeus ao Mestre Eduardo

Faleceu dia 12 em SP o veterano militante do movimento negro, Dr. Eduardo de Oliveira, nascido em 1926 , foi autor de livros e presidente do Congresso Nacional Afrobrasileiro.  Mais um grande guerreiro que se vai…, na foto encontro no STF na audiência sobre as cotas em 2010.


Deixe um comentário

Rio +20, mais uma “comida de mosca” no texto final…

Como já era esperado pela maioria dos que tem acompanhado a questão, o texto final aprovado pelos 193 paises participantes da  Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável (Rio +20) foi bem menos ambicioso do que poderia ser ; apesar disso teve uma inovação, inclui em um de seus parágrafos (por iniciativa da SEPPIR – Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial  da Presidência da República,  e acolhimento dos negociadores da diplomacia brasileira) menção à questão das violações de Direitos Humanos de diversos recortes (ex. o racismo ambiental) .

O texto diz :  “We reaffirm the importance of the Universal Declaration of Human Rights, as well as other international instruments relating to human rights an international law. We emphasize the responsibilities of all states, in conformity with the Charter, to respect human rights and fundamental freedoms for all, without distinction of any kind to race, colour, sex, language or religion, political or other opinion, national or social origin, property, birth or other status”.

Tradução: “Reafirmamos a importância da Declaração Universal dos Direitos Humanos, bem como outros instrumentos internacionais relativos aos direitos humanos um direito internacional. Destacamos as responsabilidades de todos os Estados, em conformidade com a Carta, a respeitar os direitos humanos e liberdades fundamentais para todos, sem distinção de qualquer tipo de raça, cor, sexo, língua ou religião, opinião política ou de outra natureza, origem nacional ou social, posição econômica, nascimento ou outra “.

E é ai que está o VACILO (popular “comida de mosca”), o texto seguindo uma tendência formalista (aquela que  ” iguala” formalmente a todos, a exemplo do art. 5º e parte do art. 3º da nossa CF) pode complicar o entendimento de que MATERIALMENTE tal igualdade não existe ou nem sempre está equalizada, necessitando portanto as vezes de uma DESIGUALAÇÃO DE TRATAMENTO (que é diferente de distinção, mas normalmente confundida)  quando essa se fizer necessária para fins AFIRMATIVOS.

Logo após toda a polêmica e esforços envolvidos nas questões do Estatuto da Igualdade Racial e das cotas universitárias, um detalhe importante desses não poderia ter passado desapercebido, pois todos sabemos como é que os META-RACISTAS (principalmente os ambientais e ligados ao agronegócio) costumam manipular tal tipo de disposição legal, para no sentido inverso da intenção do legislador, tentar bloquear ou anular o direito das populações e recortes sociais tradicionalmente prejudicados, em ter instrumentos que impeçam o seu vilipêndio pelos grupos tradicionalmente sócio-econômicamente  hegemônicos.


Deixe um comentário

Nadando contra a corrente… (sempre)

Que os anti-ações afirmativas com recorte “racial”  (ex. cotas universitárias) sempre foram avessos a estatísticas e qualquer outro instrumento sério e científico que  demolisse suas argumentações baseadas em “achismos”  e  distorção da realidade, não é novidade; o interessante é que  “A Folha” (que sempre fez parte do grupo de mídias com linha editorial  anti-AA) , logo depois do “1º banho”  no STF (que julgou por unanimidade a constitucionalidade das cotas, o segundo “banho” foi no julgamento relativo a utilização do critério “racial”  como bônus na classificação do PROUNI ) talvez na esperança de “provar ”  que  a decisão do STF  “não  batia”  com a  visão da “sociedade”, apelou justamente para uma pesquisa estatística (enquete)  e acabou vendo “o tiro sair pela culatra” … ;  novo “massacre ”  dos pró-cotas em cima dos anti-cotas na  enquete promovida pela versão online do jornal… (95% a  favor e apenas 5% contra), êita pessoal que não importa o tsunami de evidências continua a nadar contra a corrente… (vide a notinha de rodapé na enquete ) 🙂

Clique na imagem para ampliar


Deixe um comentário

Adoção: levantamento do CNJ indica “preferência racial” como fator complicador.

Segundo levantamento recente (maio de 2012) o Cadastro Nacional da Adoção (CNA criado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ)), o Brasil tem 5.240 crianças e adolescentes  à espera de uma nova família e um número de pretendentes cinco vezes maior que o de crianças e adolescentes aptos à adoção (28.041 inscritos em todo o país).

O perfil das crianças e jovens  exigido pelos inscritos no cadastro é a principal barreira para a adoção por uma  nova família.

Pelo cadastro, 77,16% dessas crianças disponíveis para a adoção têm irmãos, 33,8% brancas, 45,92% são pardas,  e 19,06% pretas. (a soma dos percentuais de crianças pardas e pretas ( i.e Negras) é de aproximadamente 64%,ou seja, quase o dobro do de crianças brancas) ; por outro lado, o relatório dos interessados em adotar,  mostra que apenas 18,08% estão dispostos a adotar irmãos (a  maioria dos cadastrados (82,45%) deseja apenas uma criança) quanto a cor/”raça”, 90,91% dos interessados adotariam crianças e adolescentes brancos, 61,87% pardos e  apenas 34,99%  se interessam por crianças e adolescentes de cor preta. 

Observando os percentuais diretos de candidatos/aceitação pela cor  (33,8%/90,91% brancas, 45,92%/61,87% pardas e 19,06%/ 34,99% pretas)  se constata que em tese haveria quantidade suficiente de interessados para “zerar” qualquer grupo, mas isso não é uma realidade prática, fica claro que há uma precedência por cor e uma tendência de interesse de quase 3/1 por crianças brancas enquanto  para as negras seria menos da metade disso.  Se observada a “não aceitação” verifica-se que a “procura e oferta” é diretamente inversa, ou seja, quanto mais escura a criança/adolescente maior o nível de “não-interesse” para adoção (cerca de 9% por crianças e adolescentes brancos, 38% para os pardos e 75% para pretos).

Outros fatores como ter irmãos (maioria das crianças negras tem), sexo (77% preferem meninos) e idade (76 % preferem menores de 3 anos), complicam a adoção de maneira geral, mas com efeito mais obvio para as crianças e adolescentes negros  (pretos+pardos) .

As autoridades envolvidas nos processos de adoção afirmam que pretendem e e estão revertendo o quadro a partir de instrumentos de conscientização junto aos interessados cadastrados .