Blog do Juarez

Um espaço SELF-MEDIA


Deixe um comentário

Voto distrital, entenda o que é…

voto-distrital
Por falar em reforma política, um dos elementos dela de importante atenção para todos é a questão do voto distrital…, é vantagem ou “vilão” ?
recomendo sobre o assunto esse Podcast do sempre sensato Jornalista Kennedy Alencar da CBN.

http://cbn.globoradio.globo.com/Player/player.htm?audio=2015/colunas/kennedy_150505&OAS_sitepage=cbn/comentarios/

Anúncios


Deixe um comentário

Vira e mexe, de novo os haitianos…

imigrantes-o-que-fato-sucedeApesar de não mais com o “entusiasmo” de alguns anos atrás, quando começaram a chegar os primeiros haitianos fugindo do caos  após a destruição causada pelo terremoto de 2010, vira e mexe alguém “lembra” que eles continuam vindo, não raro demonstrando alguma “preocupação” ou “dúvida” com relação a por que e como eles vem…, muito embora não tenha havido qualquer grande problema social (a exceção do grande acúmulo de imigrantes aguardando nas “cidades estanques” de entrada), nada de aumento de criminalidade, choques culturais, invasão de terras, moradia perigosa…, ou seja, nada do que ocorre normalmente com nossas próprias migrações internas, a única coisa que tem ocorrido é gente contente por poder estar trabalhando e ganhando o seu honestamente e patrões contentes com trabalhadores dedicados e  que “pegam rápido” as coisas.

Hoje temos no Brasil, cerca de 34 mil haitianos (podendo chegar a 50 mil no final do ano), 20% deles conseguem vistos no próprio país e desembarcam direto nos aeroportos de Belo Horizonte, Brasília ou  São Paulo;  pouco mais de 40% dos imigrantes haitianos têm escolaridade de nível médio completo ou incompleto, 30% do total  desses imigrantes são absorvidos pela construção civil os demais em outras ocupações em geral “indesejadas” ou não muito visadas pelos brasileiros (jardineiros, garçons, zeladores ou mesmo chão de fábrica). Como eles vem não é segredo, quem ficou com a casa em pé  hipoteca a casa em troca de algum dinheiro vivo, existe também as “vaquinhas familiares”, no médio prazo ter parentes trabalhando e enviando um fluxo constante de divisas a partir do Brasil é mais interessante que investir na destruída economia haitiana…, o custo dessa vinda é de cerca de 2,9 mil dólares por pessoa (~R$ 6.500) o que não é pouco, mas devido aos esquemas apresentados também não é nada “impossível”.

Apenas para ilustrar, no período da imigração massiva (de 1824 a 1969) tivemos  mais  de  250 mil  alemães entrando, sendo (76 mil) em um período de 10 anos(1920-1929), entre 1904 e 1972, desembarcaram um milhão e 240 mil portugueses, 505 mil espanhóis, 484 mil italianos, 248 mil japoneses, isso tudo em uma época em que a população brasileira era bem menor… , e para lembrar uma imigração mais recente (a dos coreanos) que hoje já são 50 mil no país,  sem contudo se ver “dúvidas ou questionamentos” quanto a qualquer uma delas (e muito pouco sobre os bolivianos escravizados em SP…),  a entrada maciça de imigrantes europeus na virada do século XIX para XX sob o argumento de que havia escassez de mão de obra com o fim da escravidão é totalmente falaciosa, já que segundo o historiador Petrônio Domingues, não havia escassez de mão de obra em finais do século XIX. Domingues calculou que havia no Brasil, naquela época, cerca de 4 milhões de brasileiros ociosos, entre negros e não negros. Entre 1851 e 1900, entraram no Brasil 2 milhões de imigrantes, ou seja, metade do total de nacionais fora do mercado de trabalho. Não existia, portanto, uma real necessidade de atrair esse contingente de imigrantes para o país, pois os próprios brasileiros poderiam ter suprido a demanda.

Logo, essa importação massiva de europeus e asiáticos fazia parte de uma política chamada “política nacional de branqueamento” , cuja intenção era óbvia…,

Citando José Honório Rodrigues, João Camilo de Oliveira Torres[2] documenta (p.90-91):

“Excluídos os chineses, começaram os defensores da branquidade, da europeidade de nossa gente, a opor-se à entrada de negros e amarelos. Foi a república que iniciou a discriminação. Já o Decreto nº 528, de 28 de junho de 1890, sujeitava à autorização especial do Congresso a entrada de indígenas da Ásia e da África, que não tinham assim a mesma liberdade de imigração que os outros.

Em 28 de julho de 1921, Andrade Bezerra e Cincinato Braga propuseram ao Congresso um projeto cujo artigo 1º dispunha: ‘Fica proibida no Brasil a imigração de indivíduos humanos das raças de cor preta. Dois anos depois, a 22 de outubro, o deputado mineiro Fidélis Reis apresentava outro projeto relativo à entrada de imigrantes, cujo artigo quinto estava assim redigido: ‘É proibida a entrada de colonos da raça preta no Brasil e, quanto ao amarelo, será ela permitida, anualmente, em número correspondente a 5% dos indivíduos existentes no país.(…)

No campo especificamente jurídico, essa ideologia pode ser constatada, emblematicamente, no Decreto-lei nº 7.967/1945. Cuidando da política imigratória, dispôs que o ingresso de imigrantes dar-se-ia tendo em vista “a necessidade de preservar e desenvolver, na composição étnica da população, as características mais convenientes da sua ascendência européia.” (artigo 2º).

Para encurtar a conversa, não havendo qualquer problema real causado pela entrada dos refugiados haitianos e sendo o seu número muito menor que a maioria das entradas históricas de imigrantes, só nos resta concluir que “o problema” continua sendo o mesmo introjetado pela política de branqueamento…, por tal motivo é que insistimos que por mais que as pessoas não se enxerguem como racistas, e nem tenham essa intenção consciente, permanecem reproduzindo e perpetuando visões preconceituosas e discriminatórias, só o conhecimento pode despertar uma mente embotada  pelo nevoeiro eurocentrista (base do racismo), esse é o nosso trabalho, não é sair por ai acusando uns e outros de “racistas”, mas sim despertar consciências a partir de fatos e dados claros e inequívocos (mas que nem sempre estão reunidos ou são de interesse de quem não estuda a temática seriamente), só assim as coisas mudam…


2 Comentários

PEC-99, mais um perigoso ataque dos teocratas

teocracia-montagem

PEC é uma Proposta de Emenda à Constituição.

A PEC-99  especificamente acrescenta ao art. 103, da Constituição Federal, o inciso X, que dispõe sobre a capacidade postulatória das Associações Religiosas para propor ação de inconstitucionalidade e ação declaratória de constitucionalidade de leis ou atos normativos, perante a Constituição Federal. (entendendo-se “associações religiosas” como as grandes igrejas cristãs… ), ou seja, se aprovada plenamente, essa emenda dá as igrejas o direito de diretamente contestar e interferir em tudo que for lei que não esteja de acordo com sua visão…, passo largo para a instalação de uma teocracia, não é nem o caso de se questionar a não inclusão de outras religiões, mas sim repudiar integralmente essa possibilidade de ingerência religiosa nas coisas da lei e  do estado democrático.

O autor foi  o Deputado João Campos – PSDB/GO veja o  Inteiro teor  da PEC 99/2011.

Garantir a liberdade religiosa passa pela defesa intransigentemente do direito constitucional de livre crença e culto (não apenas o seu mais o de todos), porém passa também por  preservar íntegra a laicidade do estado, o próprio Jesus foi muito claro ao dizer “Dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus” (Mt 22,21); mais do que defender  especificamente a  correição do imposto devido ao estado de forma diferenciada de qualquer dízimo exclusivamente religioso, defendeu foi a separação clara de estado/política e fé…, ou seja, que cada um tenha e pratique a sua fé, viva e “entregue” à Deus o que achar devido, mas que isso não interfira nas políticas de estado (que são para todos independente da fé ou não-fé).


1 comentário

Como é que é ?, PT + Maluf ????

Imagine um cidadão que entrou em coma lá pelo começo da década de 90,  lendo ou ouvindo a notícia que está pululando na mídia nas últimas 48 horas…, não precisa tanto, qualquer um que esteve  bem acordado até ontem (menos as cúpulas do PT e do PP) também deve estar com o mesmo nível de perplexidade (penso então nos militantes petistas históricos de base…) .

Tal qual um “samba do crioulo doido”  misturando histórias infantis  tão desconexas quanto a de Ali Baba  e a do sapo encantado e a princesa…, o inusitado anúncio prova  que em política  toda lógica é absolutamente inexata (ou pelo menos “flexibilérrima”) .

Está ai “a foto que não quer calar ” :

Ah ! esse 2012 e seus sinais…


Deixe um comentário

A Guerra dos Tablets e a Zona Franca

Tablet

De tempos em tempos  a ZFM ( Zona Franca de Manaus ) sofre algum ataque perigoso à sua sobrevivência; dessa vez o pivô é a produção de tablets, o mais recente “gadget dos sonhos” do mercado de  tecnologia digital.

O problema  é a MP 534 (que  dá isenção de PIS-Cofins )  também conhecida como “MP do bem”  (exceto para o Amazonas…)  e a Lei de Informática (que requer o PPB) a redução do IPI.

Na prática isso complica a situação da ZFM, não apenas pelo prejuizo da  perda da vantagem de produção incentivada dos próprios tablets, mas também pela perda dos empregos  e da movimentação  econômica paralela diretamente relacionados,  além do potencial perigo à inviabilização da produção de televisores na ZFM  (o que impediria por exemplo,  empresas paulistas  de criarem e produzirem com incentivos fiscais   ” tablets  de parede”   de  42 ”   ??? ), causando um efeito dominó que acabaria com a competitividade e literalmente com toda  a ZFM.

As classes  política, empresarial e sindical do Amazonas  se unem  nessas horas de perigo, para a defesa dos interesses amazonenses, o que nós da população obviamente temos que apoiar… .

” O Tablet é nosso !!!”


Deixe um comentário

O "Inferno" dos DemoCRATAS…

Imagem "emprestada" do blog "Império Magnovolts" de quem ele emprestou não sei… 

Está na mídia…, a pior crise enfrentada pelo DEMOCRATAS desde  a "refundação"  do velho PFL e consequente troca de nome. 

Minha observação empírica (pessoal) da política partidária brasileira (assim como de toda a minha geração) não teve infância e praticamente não teve adolescência.

Durante meus primeiros 15 anos de vida só havia ARENA e MDB e cá para nós minha noção e interesse por política praticamente inexistia .

Só em 1979 é que foi restabelecido o pluri-partidarismo no Brasil, foi ai que comecei a "prestar  alguma atenção"  à política, a arena virou PDS , o MDB virou PMDB e outros partidos "apareceram" como PDT e PT…; minha mentalidade de filho de militar criado dentro do período dos governos militares, não nutria absolutamente nenhuma "simpatia pela esquerda"…,  mas eram os "dancin´n days" e não pensava muito em nada nesse período que não fossem "os embalos de todo sábado á noite", em 82 política virou "pensamento proibido" nos quatro anos de vida na caserna que se seguiram, as "diretas já eram apenas acompanhadas com "interesse morno" pela TV .

Minha "vida de milíco" acabou pouco depois os governos militares, e em pleno "plano cruzado" no Governo Sarney minha vida de universitário apolítico também chegava ao fim. Dois anos depois (em 88, centenário da Abolição) tomei consciência  e me iniciei no Movimento Negro, convivendo com pessoas engajadas partidariamente (PT e PC do B) e com história no movimento sindical, mas minha "coerência histórico-ideológica"  "me arrastou" (junto com um convite do famoso atleta "João do Pulo" , então deputado estadual em SP) para o PFL (que hoje virou o DEM…).

Fui "Pefelista" militante, membro de executiva municipal e de disputar eleição para vereador, naquele ano, tive a primeira noção real do que é a "política partidária", éramos oposição na cidade (reduto tradicional do MDB/PMDB) e tive uma das maiores surpresas da vida ao em uma reunião "estratégica e discreta" do partido  (em plena campanha eleitoral), ver entrar e sentar calmante na nossa mesa os nossos "inimigos" (pelo menos era o que eu pensava até então…) o prefeito e o ex-prefeito "Pemedebistas" da cidade (ninguém menos que o hoje nacionalmente conhecido Geraldo Alckmin, "estrela PSDBista" ) para "negociar  apoios materiais" aos candidatos do PFL que "pegassem leve" nos ataques contra a situação, nesse dia minha "inocência político-partidária foi para a UTI" ( não morreu…, mas se encontra por lá até hoje… ) .

Depois disso fui do PRN paulista na época da Campanha do Collor, ai mudei para o Amazonas e fiquei 15 anos sem qualquer filiação partidária, nas últimas eleições (2006) bateu uma "leseira"  e me filiei ao PL (hoje PR) fui a uma convenção e só… ; agora estou no PV e com intenção de atuar ativamente, pois hoje creio estar o partido "refundado" e pronto para assumir uma luta e postura compatível com os novos paradigmas ambientais e sociais  e  o  contexto político.

Mas vamos ao assunto título, dei  toda essa "volta"  e  contei minha "loooonga" história só para "dar peso" à  três declarações a seguir :

1- A gente faz muita besteira na vida…, mas sempre pode perceber um erro, se arrepender e melhorar…,  como diriam o antigos romanos  "Mea Culpa, Mea Maxima Culpa" …

2- Nunca vi um partido tão "canalha", hipócrita  e contrário à  justiça social  e aos verdadeiros interesses do povo brasileiro quanto o DEM…

3- BEM FEITO !!!, lugar de …  é no "Inferno"…