Blog do Juarez

Um espaço SELF-MEDIA


Deixe um comentário

A revista People elegeu Lupita Nyong’o como a mulher mais bonita do mundo em 2014

lupita-people

Lupita Nyong’o ganhadora do Oscar 2014 de melhor atriz coadjuvante .

Notícia que bombou na semana passada…, aposto que deve ter deixado muito brasileiro “não-racista” revoltado com a “flexibilidade” do padrão de beleza admitido no “primeiro mundo”, já que apesar de não se darem conta, como herança do processo de colonização mental tem afixado na mente que “o único” padrão de beleza com “mérito” para tal tipo de destaque é o eurocêntrico (ou seja, cor branca, cabelos lisos ou ondulados e o tal do “nariz afiladinho”), quem sabe com isso reflitam mais sobre a sua própria mentalidade racista (que teimosamente não conseguem enxergar) ?

Para além disso, Lupita  que é uma negra, mexicana e criada no Quênia, quebrou de uma só vez ao ganhar o Oscar, pelo menos três “tabus”….

A polêmica que estão tentando criar com relação ao fato da publicação ter “photoshopado” a foto de Lupita e clareado sua pele, é a típica tentativa de retirada de foco da questão principal, pois a indústria da moda e publicações sobre celebridades faz isso com todo mundo (inclusive pessoas de brancura européia), é uma “tara estética” ?, com certeza… vindo de um subliminar “ideal de brancura extrema” ? muito provável…, mas por mais photoshop que se utilizasse, não retirou a negritude para lá de óbvia de Lupita, muito menos a permeabilidade e nível de oportunidade,  que permitiram a ela a dupla conquista…, coisa difícil de imaginar em um contexto brasileiro por exemplo.

Outro ponto está na comparação com caso da MISS UNIVERSO 2011, mas tem algumas diferenças na questão, a primeira é que a Lupita conseguiu uma consagração mundial prévia… pelo talento artístico e não apenas pela beleza, a segunda é que beleza da Leila Lopes (que é angolana) representa uma beleza negra sim, mas é uma beleza “mulatizada” (o termo é horrível, mas não tem outro melhor para me fazer entender) que na “escala de beleza” brasileira e ocidental é até “tolerada” apesar de ser tão raro as vezes em escala global que a “beleza mulatizada” “superou” o padrão eurocentrado, tão raro que conseguimos contar nos dedos de uma mão e ainda sobra… .

O caso da Lupita vai além… a beleza dela é típica da PRETA ( o fenótipo africano “natural” , cor muito escura, sem ‘traços finos” e sem “cabelos longos e balançantes”) que via de regra é super desqualificado e discriminado, do “tipo Lupita” no Brasil o exemplo mais próximo de beleza reconhecida foi o da Pina (aquela que embasbacou o Príncipe Charles), mas veja o caso da última Globeleza (que “desagradou” muita gente, justamente por ser uma preta e não uma “mulata” como era a Valéria Valenssa), não sei se sabem, mas vejam o destino da Nayara Justino a Globeleza preta… (veja link no fim do texto), que acabou escondida pela Globo, e entrou em depressão devido a tremenda rejeição pública que recebeu, prestem atenção nos comentários… (e vejam se não tenho razão), é dessa questão que estou falando ao comparar o sucesso de Lupita com o problema brasileiro que ninguém quer enxergar…, “Com rejeição, Globeleza vira problema na Globo, que a proíbe de dar entrevistas”

 


Deixe um comentário

Denzel again… (Flight, O Voo)

o-voo-indexToda vez que me deparo com um filme novo do Denzel Washington, antevejo que é um filmaço imperdível, com o último não foi diferente…; no papel de um piloto comercial “noiadão”, consegue carismaticamente  entre uma cheirada aqui  e um porre ali, angariar a simpatia do público…, em uma história cheia de inusitados e  com final muito interessante. Ah! destaque para o encaixe perfeito do sonzão do  Joe Cocker – FEELIN ALRIGHT (tema pós-“recuperações” do noidão Whip),  .rmvb integral já está por ai pela web… 🙂

Trailler :

RECOMENDADÍSSIMO !


3 Comentários

Besouro, o filme

Besouro O filme

Cartaz de divulgação

Estreiou simultâneamente (com 120 ou 160 cópias) em todo o Brasil  na ultima sexta feira de outubro, o longa-metragem  do diretor João Daniel Tikhomiroff sobre o lendário Besouro Mangangá (Manoel Henrique Pereira 1897-1924, um herói da capoeira que se tornou uma "lenda viva", cantado e referenciado até os dias de hoje pelos  seus praticantes), Besouro é clara e assumidamente um filme de ação e ficção (mas inspirado em uma história real) ambientado no Recôncavo baiano  dos anos 20 do séc. passado  .

Besouro, antes mesmo da estréia, já tinha tudo para ser um marco da cinematografia nacional:

Primeiro, pelo tema que envolve além da capoeira, vários outros elementos da cultura e estética afrobrasileira  como os Orixás do Candomblé (além de uma crítica histórico-social muito importante no momento em que a população negra busca resgatar não apenas seus valores culturais, estéticos  e  a auto-estima, mas principalmente  sua cidadania plena através das AA) ;

Segundo, pela introdução de um "super-heroi" brasileiro e negro…, bem como pelas cenas  com efeitos especiais fantásticos não apenas  nas lutas (ao estilo dos filmes de artes marciais orientais, Matrix e outros  do  gênero),  mas  também na fase da  "evolução"  de Besouro,  que introduzem  uma linguagem cinematográfica inédita  no Brasil;

Terceiro, pelo custo (10 milhões de Reais)  e o trabalho de divulgação prévia feito basicamente pela internet, ; só pelo trailer (visto na web mais  de 500.000  vezes), pelo site do filme (tem como música de fundo um toque com berimbaus impressionante)  e pelo blog ( que permitiu o acompanhamento  da produção  desde antes do início das filmagens) já se pode ter uma idéia do que esse filme significa no contexto nacional… e arrisco desde já uma "profecia" …,  vai estar na próxima festa do OSCAR…, e com grandes chances de trazer a estatueta de melhor filme estrangeiro.

Bom, detalhes como elenco, sinopse , etc…, nada melhor que deixar com quem fez (e muito bem-feito) : http://www.besouroofilme.com.br  (site com trailer, sinopse, etc…)  ou http://www.besouroofilme.com.br/blog  (o blog com tudo sobre os bastidores e premieres ).

* nos comentários as impressões pós-filme