Blog do Juarez

Um espaço SELF-MEDIA


16 Comentários

Quem tem medo de Morgan Freeman ?

O mais recente viral da web, é a discussão sobre um já não tão novo vídeo em que o famoso ator Morgan Freeman (dispensa apresentações, mas apenas para contextualizar para algum alienígena, ou alguém recém-saído de um coma de 30 anos possa entender.., é negro), em que perguntado em uma entrevista, sobre a sua opinião em relação à prática brasileira de se ter um mês ou dia da consciência negra, o mesmo critica tal necessidade.

Não é difícil dizer de onde vem (justo na época de alta visibilidade provocada pelo dia da consciência negra) esse “providencial requentamento” do vídeo, artigos entusiasmados e aplausos fervorosos ao “desapego” de Freeman a uma situação tão cara não apenas para a militância negra brasileira, mas até para aqueles negros não ativistas, que aproveitam o dia da consciência negra para demonstrarem um mínimo de orgulho afirmativo… .

Vem e é obvio, das mesmas bandas daquele pessoal que após grande esforço meta-racista, viram sucumbir suas intenções de barrar as ações afirmativas para a população negra, como por exemplo a aprovação das cotas universitárias com recorte racial.

Depois do “chororô” pela derrota de seus argumentos e também de um anunciado e merecido ostracismo; sim eles estão de volta…, os neo-democratas-raciais ganham novo fôlego em sua cínica campanha anti-negro, e pensam não ser qualquer fôlego, mas um fôlego internacional, renomado e o “melhor de tudo” negro… (nada dá mais satisfação aos neo-democratas-raciais meta-racistas do que poder “usar” um negro como “capitão-do-mato” para suas intenções desagregadoras) .

Falando sério ?, não dá para se considerar a “relevância” ou “propriedade” do discurso de “deixa tudo para lá ” do agora aplaudidíssimo “discurso freemista”, tendo em vista Morgan Freeman ser um negro milionário, em uma terra de muitos negros milionários ou em altas posições sociais, aonde há uma centenária e bem desenvolvida “economia negra”.

Considerando ainda que em seu país os negros já fizeram seu “jogo pesado” contra o racismo e desigualdade há mais de 40 anos atrás, apelando para ações nada passivas à exemplo da famosa campanha dos ônibus, depois das marchas em multidão pelos Direitos Civis, partido dos panteras negras e dezenas de movimentos culturais afirmativos que iam desde a adesão ao islamismo, passando pela estética do Black Power, a premissa do “Black is Beautiful” e inclusive se beneficiando de ampla política de cotas e welfare ou bem-estar social.

Não vamos nem nos aprofundar nas diferenças obtidas do processo de emancipação com reparação ocorrido ao final do seu período escravagista, comparado com a nossa Abolição (no popular um simples pé-na-bunda sem maiores preocupações) ), faça o que eu digo, mas não faça ao que eu faço, não “cola” mais… .

Freeman, não é brasileiro, nem “brazilianista”, por mais inteligente e viajado que seja, não conhece nem entende suficientemente a mecânica brasileira de racismo e anti-racismo, aliás duvido que sequer tenha noção considerável do contexto amplo da diáspora africana fora dos EUA… (apesar de ter dirigido e atuado em vários filmes sobre a situação em África), sua opinião “Black-Yankee” ao contrário do Dólar, aqui não vale nada…, portanto fica a pergunta: “Quem tem medo de Morgan Freeman ? “

É melhor os neo-democratas-raciais brazucas arranjarem um outro “espantalho”, pois esse (assim como todos os anteriores) não vai resolver o problema dos “fazendeiros” insatisfeitos com o avanço dos indesejáveis sobre seus domínios… .

EM TEMPO , eu não havia visto o vídeo, apenas os comentários e artigos, ocorre que 1- O vídeo inicia diretamente na pergunta (fica difícil entender o contexto) , 2 – Pelo áudio percebe-se que a pergunta foi sobre um “MÊS DA HISTÓRIA NEGRA” (e num contexto norte-americano), ou seja, quem legendou o fez propositalmente para induzir ao erro quem não domina o inglês…

Isso muda um pouco as coisas (mas só um pouco), portanto, retiro a parte sobre o entendimento de freeman sobre a questão brasileira e sua “intromissão” (coloquei o trecho “desilumidado”, mas apenas isso, o resto permanece válido) , acrescento o seguinte:

Montagem by LiHS – Liga Humanista Secular do Brasil

Sem maiores comentários, Luther King, não viu a fala de Freeman mas tinha a resposta perfeita para ela décadas atrás… .


2 Comentários

A cara-de-pau meta-racista dos neo-democratas-raciais

Antes de iniciar …, um lembrete :

  • Constituição Federal de 1988  – Art. 5º, IV – é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato; [..] IX – é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença .
  • A LEI Nº 9.610, DE  19  DE FEVEREIRO DE 1998 (Lei do direito autoral) – Art. 46. Não constitui ofensa aos direitos autorais:  I – a reprodução: a) na imprensa diária ou periódica, de notícia ou de artigo informativo, publicado em diários ou periódicos, com a menção do nome do autor, se assinados, e da publicação de onde foram transcritos;[..] III – a citação em livros, jornais, revistas ou qualquer outro meio de comunicação, de passagens de qualquer obra, para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor e a origem da obra;

Isso posto… vamos ao que interessa .

Imagem "Lobo em pele de cordeiro" linkada de gifbn.com

Impressionante a desfaçatez  meta-racista dessa turma que se diz "preocupada" com o direito à igualdade,  com o respeito à Constituição, com  a democracia e em evitar "racialismo", "racialização", "racismo as avessas" ou "divisões perigosas", a quem tenho costumeiramente me referido como neo-democratas-raciais.

Abaixo  parte da descrição e "regras" do blog "contra a racialização do Brasil "   que abriga alguns dos "expoentes" da luta contra as Ações Afirmativas para o equilíbrio da histórica e comprovada desigualdade social com recorte "racial" brasileira.  :

" Quem somos

.
Este é um blog destinado à defesa de duas ideias inseparáveis. A primeira: o racismo é uma chaga intolerável, que diminui e desumaniza os seres humanos. A segunda: a doutrina racialista, expressa no projeto de criação de leis raciais, degrada a democracia, oficializa o mito da raça e, voluntariamente ou não, estimula o racismo.

Nossas ideias estão expostas em dois documentos que inspiraram a criação deste blog: a Carta Pública ao Congresso Nacional de 30 de maio de 2006 (veja aqui) e a carta ao STF intitulada Cento e Treze Cidadãos Anti-racistas Contra as Leis Raciais, de 21 de abril de 2008 (aqui).

Este é um blog coletivo e aberto a adesões e contribuições. É feito por cientistas políticos, antropólogos, sociólogos, juristas, historiadores, geneticistas, biólogos, médicos, intelectuais e ativistas de movimentos sociais. Coletivo não significa anônimo. Nossos nomes aparecem nos posts que não têm links para fontes externas.  1(grifo nosso)

Este é um blog apartidário. As duas ideias gêmeas que ele sustenta encontram expressões em todo o espectro político brasileiro. Por esse motivo, aqui se acolhem manifestações oriundas de pessoas e instituições de variadas posturas ideológicas, sem que isso implique simpatias do blog por qualquer uma dessas posturas 2(grifo nosso)  Eis a razão pela qual não abrigamos uma lista de sites e blogues “preferidos”.

Este é um blog de caráter essencialmente informativo, voltado para a difusão dos argumentos contrários à racialização oficial do Brasil. Não é um espaço para a exposição de doutrinas racistas ou racialistas. O direito à difusão de nossos argumentos realiza-se pela moderação de posts e comentários. Nada há de anti-democrático nisso, pois a internet tem espaços para a difusão de argumentos divergentes.
3(grifo nosso)

Este blog rejeita a violência verbal. Não aceitamos posts ou comentários que deslizem para a desqualificação gratuita de pessoas, correntes, partidos ou instituições. Não abrigamos difamação, injúria ou calúnia. Controlamos a publicação de inverdades factuais e assumimos o compromisso inegociável de retificar inverdades publicadas involuntariamente. 4(grifo nosso)

Nosso email: norace.br@gmail.com  "

 

Bem, agora vamos analisar os grifos :

1- Padrão…, anti-AA tem pavor de referências externas em discussões…, ignoram  as oferecidas e quase nunca oferecem qualquer tipo de embasamento científico ou factual para suas idéias (primeiro porque realmente pouco estudam ou estudaram a temática e segundo porque tal embasamento não existe ou é falacioso) , as "verdades" são todas suas ou no máximo de algum dos "correligionários", nunca de fonte neutra ou de consenso e reconhecimento acadêmico generalizado.

2- "Selecionam" ou fomentam autores e material de acordo com sua visão, mas descaradamente "negam simpatia" por eles…, um paradoxo com o próximo item onde afirmam  categoricamente que o blog é "voltado para a difusão dos argumentos contrários à racialização oficial do Brasil." (sic), haja incoerência (ou seria mais uma forma de disfarce ? ) .

3- Não se consideram "anti-democráticos" mas se reservam o direito de não abrir espaço para o contraditório… , quem quiser se manifestar contrariamente que vá para "outros espaços" .

4- Mesmo que deixem "escapar por engano" algo que contrarie  a sua "verdade"  se reservam o direito de retificar… , a idéia é claramente de "OPOSICÃO 0" (incluindo a discordância parcial "amiga") .

É assim  que pensa e age  o tipo de pessoas que se declaram "defensores" do justo e  da igualdade formal  e que não enxergam racismo no Brasil… , que dizem que não há vínculação social entre "raça" e classe no Brasil,  que alardeiam que qualquer reconhecimento ou ação afirmativa oficial contra tal desigualdade é "eleitoreira" ou gerará o ódio, que "invertem"  as coisas chamando de "racialistas" e "racistas" justamente os que históricamente sofrem ou lutam contra o racismo.

O bom de tudo isso é, que seus posicionamentos equivocados e cínicos , estão sendo largamente registrados e divulgados por eles mesmos… , será esse "cabedal" de inconsistência, falácia e hipocrisia mal disfarçada, que afundará suas pretensões de manter o Status Quo inalterado…  ;  é possível enganar muitos algum tempo, alguns muito tempo, mas não todos o tempo todo…

Lembrei de um desenho animado dos anos setenta, em que apesar das incansáveis tentativas e disfarces utilizados pelo "vilão"  era sempre descoberto pela ovelha que dava o alarme :  "É o lobo , é o lobo , é o lobo !!!! "   .