Blog do Juarez

Um espaço SELF-MEDIA


Deixe um comentário

Até tu A Crítica ??? ou Quando o HOAX sai das redes e passa para o papel jornal

hoaaaxx

Indignado com a forma ao mais puro estilo “marrom” com que o conceituado Jornal amazonense A Crítica, “requentou” e publicou uma das mais vis campanhas de reacionarismo e desinformação correntes nas redes sociais, o hoax contra o auxílio-reclusão.

Com estardalhaço e manchete em nada compatível com uma prática jornalista responsável, a publicação se utiliza de termos incorretos e um “lied” que induz o leitor a interpretação errônea e um posicionamento equivocado, não obstante no texto da matéria se faça uma explicação mais coerente, porém insuficiente para que o leitor desinformado compreenda plenamente a questão.

Lei que dá direito a salário de até R$ 971,78 para presidiários gera polêmica em Manaus

O benefício que é destinado aos detentos do regime fechado e semiaberto gera insatisfação nas ruas e já é alvo de proposta no Senado Federal para que seja extinta”

Sinceramente…, é complicado ver um jornal de tradição e grande circulação pautar um velho HOAX de rede sociais, não como crítica, mas como algo de valor jornalístico e principalmente merecedor de consulta popular; quatro anos atrás escrevi sobre esse assunto aqui mesmo no blog: Auxílio Reclusão: se indignar ou entender ? .

Nesse ritmo já podemos esperar outros “clássicos” da boataria cibernética transformados em “notícia”.


6 Comentários

Alunos evangélicos se recusam a fazer trabalho sobre a cultura afro-brasileira

Impressiona a matéria publicada no nosso principal jornal de Manaus

A Crítica

Manchete em A Crítica

E como sempre o racismo (sim RACISMO, pois a base da intolerância religiosa no caso, faz parte do tradicional conjunto de práticas e mentalidades racistas brasileiras) denunciado na matéria (por sinal imparcial como deve ser uma boa matéria), se repete nos COMENTÁRIOS da versão online do jornal, demonstrações abertas de ignorância e preconceito (as vezes mal disfarçado em “defesa da livre expressão ou direito de opinião”).

Vou repetir aqui (com alguns acréscimos) o que comentei lá :

Aos que não entendem do que se trata :

1- História e Cultura afrobrasileira e africana, não tem cunho religioso (apesar de entre outras coisas poder esclarecer sobre algumas características das religiões de matrizes africanas, e isso não é apologia nem proselitismo) o ensino de HCAA é obrigatório no ensinos fundamental e médio de forma transversal por conta da LEI FEDERAL 10.639/2003, alegar “convicções religiosas” para não estudar ou fazer trabalho escolar é tão ridículo quanto alegar que estudar mitologia e cultura grega “transformaria” os estudantes em “adoradores de Zeus”  ou que por serem criacionistas devam “evitar” conhecer e responder sobre o evolucionismo.

2- O errado no trabalho sobre Missionários na África ( que tentou ser apresentado pelos estudantes) é que vai justamente na contra-mão da intenção de mostrar justamente os valores civilizatórios africanos lá e introduzidos no Brasil e não como eles foram e são destruidos pela cultura eurocêntrica. (seria como se fosse pedido um trabalho sobre A cultura indígena e os estudantes apresentassem um trabalho de apologia à destruição da cultura,  pelas missões). Ou seja, estão tão CEGOS pelo fanatismo que não enxergam que proselitismo religioso contraria a ideia de respeito à diversidade cultural.

3- Poderiam ser feitos milhares de trabalhos sobre cultura afrobrasileira sem sequer tocar na questão afroreligiosa, ou seja, o problema mesmo é preconceito contra qualquer coisa de origem africana (inclusive os descendentes).  A intenção de trabalhos como esse é deslocar o eixo de visão cultural dos jovens de um exclusivo eurocentrismo, não reforça-lo. (em tempo, fiquei sabendo por outras fontes que o trabalho solicitado era sobre o Candomblé, o que não muda a situação, se fosse solicitado um trabalho sobre o islamismo, judaísmo ou sobre a reforma luterana, nenhum aluno independente de religião poderia se negar a fazer, conhecer elementos de outros grupos culturais não torna ninguém pior…) .

Os estudantes falaram em SATANISMO e HOMOSSEXUALISMO (sic) em obras literárias recomendadas para leitura (no caso Jubiabá de Jorge Amado, onde o personagem principal é amigo de um pai de santo), se fossem menos intolerantes e mais informados, saberiam que o satanismo é uma filosofia/culto europeu, não africano… e que o termo correto é HOMOSSEXUALIDADE (em geral o sufixo ismo é aplicável a doenças/patologias, o que não é o caso).

Enfim, está ai escancarada a atitude criminosa de intolerância e discriminação fomentada por pais e pastores, desrespeitam não apenas vários dispositivos constitucionais e infraconstitucionais diretos, como afrontam uma lei federal  (a 10.639/2003  que torna obrigatório nos níveis fundamental e médio o ensino de História e Cultura afrobrasileira e africana, complementada pela 11.645/2008 que incluiu a História e Cultura do povos indígenas);  está mais do que na hora de acontecer algumas prisões e processos contra os arautos da intolerância criminosa, para mim isso já virou caso de polícia e justiça… .

Link para a matéria jornalística : http://acritica.uol.com.br/noticias/Amazonas-Manaus-Cotidiano-Polemica-alunos-professores-trabalho-escolar-afro-brasileiro-evangelicos-satanismo-homossexualismo-espiritismo_0_808119201.html


Deixe um comentário

Tadinha da classe média alta, como sofrem… :-)

A questão das cotas universitárias continua gerando “manchetes terroristas”… :-), a imprensa inconformada e mal informada não perde a chance de fazer seu “mimimi” , mas podia ser pior … imagine a seguinte manchete : “Exilados pelas cotas, vivem o drama de ter que deixar a pátria para poder estudar” … 🙂  é o terror senhores é o terror… 🙂 e não para, igualzinho ao “mimimi” da classe média alta e branca e de seus jovens “rebeldes sem causa” insistindo em mobilizações  anacrônicas contra a implantação das cotas universitárias, vamos ter pena gente, são uns “coitadinhos”, agora que já não podem mais ficar de graça com todas as vagas das universidades públicas que consideravam o top da educação superior de qualidade (e “propriedade exclusiva e natural por direito divino” deles), preferem ir gastar seus dólares em Harvard e Cia Ltda., uma verdadeira “tragédia” 🙂 ainda bem que o PROUNI e os pobres que não entrarem nas públicas ficarão para manter o sistema superior privado brasileiro … .


Deixe um comentário

Nadando contra a corrente… (sempre)

Que os anti-ações afirmativas com recorte “racial”  (ex. cotas universitárias) sempre foram avessos a estatísticas e qualquer outro instrumento sério e científico que  demolisse suas argumentações baseadas em “achismos”  e  distorção da realidade, não é novidade; o interessante é que  “A Folha” (que sempre fez parte do grupo de mídias com linha editorial  anti-AA) , logo depois do “1º banho”  no STF (que julgou por unanimidade a constitucionalidade das cotas, o segundo “banho” foi no julgamento relativo a utilização do critério “racial”  como bônus na classificação do PROUNI ) talvez na esperança de “provar ”  que  a decisão do STF  “não  batia”  com a  visão da “sociedade”, apelou justamente para uma pesquisa estatística (enquete)  e acabou vendo “o tiro sair pela culatra” … ;  novo “massacre ”  dos pró-cotas em cima dos anti-cotas na  enquete promovida pela versão online do jornal… (95% a  favor e apenas 5% contra), êita pessoal que não importa o tsunami de evidências continua a nadar contra a corrente… (vide a notinha de rodapé na enquete ) 🙂

Clique na imagem para ampliar


Deixe um comentário

“Liberdade de opinião” para quem ???

Depois de toda a reação ao texto  xenófobo/racista de Mazé Mourão ” O Haiti não é aqui”, como era de se esperar veio a tentativa de “se limpar com a opinião pública” e escapar das consequências, através de uma manjada tática muito utilizada pelos meta-racistas, apelar para a “liberdade de expressão/opinião” e tentar desviar o foco através do discurso ” eu fiz pelo bem geral de todos ou dos nossos”;   desculpas públicas e o reconhecimento do erro nem pensar… .

A tentativa que veio através da postagem “Liberdade de Opinião” (http://blogs.d24am.com/blogdamaze/2012/02/02/liberdade-de-opiniao/comment-page-1/#comment-998) parece no entanto não ter dado certo ( muito pelo contrário), 3 dias depois o baixíssimo número (tendo em vista o blog estar no portal de um jornal muito lido e o nível da polêmica no ar) de comentários “favoráveis” (grande parte de parentes e amigos), demonstra claramente o posicionamento da opinião pública… (além de indicar que toda a oposição está obviamente sendo censurada, pois ninguém é besta…), não adianta vir com a velha desculpa da “liberdade de expressão” (liberdade essa negada aos outros pela própria autora ao censurar os comentários alheios, eu mesmo tive dois comentários censurados, e o que publico aqui originário de comentário postado lá não espero que seja diferente).

Cabe lembrar que a “Liberdade de expressão/opinião” também tem limites, quando a “opinião” possui elementos que afrontem ou desconsiderem a lei (o que foi o caso na “opinião infeliz” em “o Haiti não é aqui”) o responsável deve estar preparado para enfrentar não apenas o repúdio das pessoas de bom senso, quanto os rigores da lei… .

Ah! um outro detalhe, não “perder a pose” é fundamental na retórica da jornalista, ao tentar puxar para si o pionerismo e o deflagramento da reflexão sobre a questão, o que é obviamente MENTIRA !;  antes de seu texto, outros “locais” menos evidenciados (e alguns mais…),  já haviam iniciado seus “ataques” contra os haitianos, o contra-ataque idem (basta ver aqui no blog mesmo os posts anteriores ao infeliz artigo de 26/01  da jornalista ), se houve algum “mérito” na ação da mesma foi incendiar e amplificar o debate da questão devido à sua inegável ampla visibilidade jornalística, e só.

Sorry, Sorry, Sorry ! , decididamente o assunto não acabou (e nem vai terminar em pizza e olvidamento…).


2 Comentários

O Globo e a sua "seletividade comercial"

 

Mais um desmascaramento surgido no rastro da movimentação causada em torno e em função das audiências públicas no STF,  convocadas pelo Ministro Ricardo Lewandowski (relator da ADPF movida pelo DEM contra as cotas raciais na UnB e "por tabela" contra todo o sistema em nível nacional)  para embasar com as informações dos Amicus Curiae  o seu relatório (que influenciará fortemente o posicionamento do Ministros no Julgamento).

A Campanha AFIRME-SE, criada e levada a cabo por militantes e organizações favoráveis às cotas raciais , conseguiu recolher mais de 150 mil reais, com a finalidade de publicar no período da audiência página publicitária inteira nos mais estratégicos jornais do país (O Globo, O Estado de S.Paulo, Folha de S.Paulo  e Jornal A Tarde).

O preço acertado previamente com o departamento comercial de O Globo pela empresa de publicidade responsável pela campanha (Propeg) seria de R$ 54 mil, mas ao ser enviado o material e tomar conhecimento do conteúdo, o Jornal simplesmente aumentou o preço para R$ 712 mil (1300% de aumento, obviamente inviabilizando a publicação).

Os responsáveis pela campanha entraram com representação judicial contra o jornal O Globo , através do Ministério Público do Rio de janeiro; e pretendem que comprovada a discriminação, o jornal realize a publicação por preço simbólico ou gratuitamente.

Pois é…, é assim que funciona boa parte da estrutura favorável à manutenção das desigualdades brasileiras(principalmente da racial), privilegiando editorialmente os que se apresentam de acordo com a sua linha ideológica e vetando os contrários; quando não podem fazer isso se escondendo na "subjetividade editorial", apelam para a "barreira econômica"… , cínica e muito mais eficiente que os velhos métodos diretos e abertos de discriminação.

Apenas para referência lembro alguns teóricos… :

META-RACISMO: Joel Kovel em seu livro White Racism: A Psychohistory (Racismo Branco: Um Psicohistoria, e é interessante observar que foi bem frisado no título ao que ele se refere para que não fosse "distorcido"…) publicado em 1970 e republicado em 1984 descreve "meta-racismo" como "… o racismo de tecnocracia; isto é, sem mediação psicológica como tal, no qual a opressão racista é executada diretamente POR MEIOS ECONÔMICOS E TECNOCRÁTICOS", ainda segundo Kovel "Como ele incorpora as formas mais avançadas de dominação, transforma-se em múltiplas configurações como um camaleão (independentemente das formas necessárias para executar a sua missão racista), e é mais  eficiente que as formas mais antigas, cheias de ódio, odiosas formas do racismo que levavam a discriminação e violência pública e aberta – META-RACISMO é o modo dominante do racismo no capitalista pós-moderno"


Ou ainda como alerta (Zizek 1995),  " vivemos um novo tipo de racismo, um racismo pós-moderno, um «meta-racismo», que pode perfeitamente assumir a forma de um combate contra o racismo. Essa resistência cínica pode ser encarada como uma das vicissitudes da atual abertura proposta pelo liberalismo e seu projeto de re-invenção da democracia e do discurso dos direitos humanos.
Entretanto, conforme argumenta Zizek, a diferença entre o meta-racismo e o racismo tradicional, direto e declarado, é absolutamente nula, uma vez que não existe metalinguagem. Talvez, exatamente por isso, a postura cínica do meta-racismo se torne mais ameaçadora".

Preparar carapuças…


Deixe um comentário

Ribamar Bessa, BRASIL: A LAGOA DOS NEGROS

José Ribamar Bessa Freire, cronista amazonense

O conhecido e popularmente  estimado intelectual amazonense José Ribamar Bessa  Freire  ou simplesmente RIBAMAR BESSA  como é mais conhecido, como de costume nos brinda em seu site  o "Taqui prati" (não é blog pois lá não podemos ter o prazer de comentar e interagir com cada postagem  :/ ) com mais uma deliciosa  Crônica (publicadas sempre aos domingos no Jornal Diário do Amazonas) .

Apesar do título que de início remete à ideia de "aula" de geografia, história ou militância na causa negra, na realidade Bessa apenas usa uma situação histórica com eco no cabedal fantástico/oral indígena do sul do Chile, para por analogia fazer a análise da situação do PNDH III (Plano Nacional de Direitos Humanos ) que esteve no foco de discussões  e polêmicas  da semana  no Brasil.

Como por motivos "ético-burocráticos"   não posso reproduzir diretamente aqui, dou o link para a mesma : http://www.taquiprati.com.br/home/apresenta-cronica.php?cronica=cronica17-01-2010

Recomendo 


1 comentário

Isto é uma VERGONHA!!!

Boris Casoy, âncora do Jornal da BAND.

Já pipocando na grande mídia e na rede de blogs, a "mancada"  protagonizada pelo âncora do Jornal da BAND, Boris Casoy… , que sem perceber que o microfone estava aberto enquanto entrava a vinheta ao final da exibição da gravação de saudação de ano novo feita por dois garis …, disse : "Que merda: dois lixeiros desejando felicidades do alto da suas vassouras. ", no que foi complementado por outra voz que parecia ser a de Joelmir Beting, "O mais baixo na escala do trabalho."  seguido de risadinhas sarcásticas.

Boris, já veio a público confirmar  a gafe e "pedir desculpas" pelo ocorrido, o outro ainda não… .

O que fica disso tudo é a lição de como são hipócritas os representantes da mídia-má nacional (os mesmos que se arvoram em "defender a igualdade formal" e tal da  "meritocracia", se posicionando abertamente contra ações afirmativas com recortes precisos e reforçando os processos de invisibilização/negação dos preconceitos e discriminações arraigados na sociedade brasileira).

É a famosa "duas caras", uma com  o discurso cínico que eles tentam passar na frente das câmeras, nos seus "livros" e artigos de opinião nos jornalões e revistas, outra com o que REALMENTE PENSAM em OFF…, mas um dia a máscara cai… , para Boris Casoy o dia chegou…

Isto sim é UMA VERGONHA !!!