Blog do Juarez

Um espaço SELF-MEDIA


Deixe um comentário

SOBRE O ABATE RELIGIOSO E A REAFIRMAÇÃO PELO STF

Não poderia ser outra a decisão frente ao direito claramente colocado na constituição, no estatuto da igualdade racial e a partir do conhecimento mais aprofundado e não preconceituoso sobre os cultos afros e suas premissas.

Tem um filme muito bom que fala dessa “culpa cristã” e da intenção de uma religiosidade afro “vegana”, tolerável aos olhos e sentidos eurocentrados, o que contraria os fundamentos essenciais das tradições e que não podem dispensar o sacrifício, o sangue, que nada tem a ver com tortura ou maus-tratos aos animais.

O interessante é que até os não veganos, que pouco se importam com a forma como vivem e são abatidos os bichos que vão parar em suas mesas, entram nessa de querer acabar com o abate religioso, mas nem pensam sobre o abate que lhes alimenta no dia a dia… .

Nessa se lascaram… AŚE 7 X 0 Hipocrisia & Eurocentrismo . ✊🏿


Deixe um comentário

Para rir, revoltar mulheres ou refletir ?

instinto-masculinoBom, se você é uma pessoa normal, provavelmente em primeiro momento deve ter dado umas risadinhas com a cena acima…, se é homem deve ter parado por ai…, se é mulher em um segundo momento deve ter posto o “modo revolta com a macharada” em ON e se for feminista a esta altura já deve estar se preparando para fazer uma “campanha” que inclui atirar esse pobre blog no rol de “blogs machistas” etc, etc 🙂 .

A imagem acima encontrei em uma das “andanças” pelo facebook, e resolvi comentar por lá  “bem-humorada” e brevemente mas com um pé na análise “sócio-antropológica” da coisa, e foi ai que a coisa complicou…, obviamente fui contestado em  minha linha de entendimento básica “crítica as convenções culturais X instinto masculino”, aqui só vou aproveitar para alongar um pouquinho a minha tréplica e estimular a reflexão de quem por ventura passar por estas linhas .

Antes de entrar na questão propriamente dita, só um ligeira observação, penso que assim como no meu tema mais recorrente (africanicidades e combate ao racismo), no feminismo há também posicionamentos um tanto equivocados por parte de ativistas quanto ao que venha a ser o real objeto da causa, os objetivos a alcançar e os discursos e métodos para tal…, sou solidário a todas causas (e verdadeiras causas são todas justas), e penso que o fato de discordar parcialmente de demandas arbitrárias (falsas demandas, desnecessárias ou equivocadas) não me faz “inimigo” de nenhuma delas, isto posto vamos ao cerne da questão.

A definição de homem (no sentido de ser humano) é o de “animal racional e social”, e por mais que sejamos afetados pelos códigos e posturas culturais (umas milenares outras nem tanto, umas vigentes em determinadas culturas outras não…, mas todas artificiais e “impostas” socialmente), não podemos nos afastar “racional e cientificamente” do fato simples e natural de que somos sim parte do mundo animal e que por tal estamos sujeitos a regras e características naturais comuns a outros nossos convivas não racionais…, sejam fisiológicas, ambientais, nascimento, doenças, morte, enfim…; uma dessas características são os instintos, e entre eles o de sobrevivência e o sexual…, sendo que isso não tem religião, cultura ou código legal que consiga estirpar da nossa natureza de “animal humano” com dizia Winnicott (quando muito reprimir ou fazer sublimar, mas nem sempre…), já o “sentimento feminino de posse exclusiva do macho”  e que não é comum na natureza a qual tanto já subvertemos (pelo menos não entre a nossa classe mamífera, exceção talvez para as toupeiras) é em análise direta tão “natural” e introjetado quanto o seria o racismo…, ou seja, não deveria existir já que entre os Sapiens de fato nunca configuramos diversas subespécies, nem há de fato nenhuma razão “natural” que o “justifique”, mas mesmo assim foi “inventado” e está lá culturalmente colocado nas psiques… (principalmente as ocidentais baseadas na moral judaico-cristã)….

A imagem que dá origem ao texto é obviamente uma coisinha premeditadamente feita para fazer rir… , e humor é baseado sempre em nossas desgraças e incoerências, e tentar seguir as convenções e ter dificuldades com instintos naturais é uma delas, e é disso que de maneira curta e ilustrada trata a tirinha….