Blog do Juarez

Um espaço SELF-MEDIA

Sobre o Blog e Autor

Eu na Berlinda, Programa RODA VIVA – TV Cultura AM

Juarez C. da Silva Jr.

Graduado em Processamento de Dados pela Universidade de Taubaté-SP (1987), larga experiência profissional com ênfase na prática e docência na área de Sistemas de Informação, Especialista em Educação a Distância pela Universidade Católica de Brasília, Mestre em História Social pela UFAM – Universidade Federal do Amazonas, estudioso da temática étnico-racial, Direitos Humanos e movimentos sociais, palestrista com Certificação em História e Cultura afrobrasileira e africana (Faculdades do Noroeste de Minas Gerais-FINOM), em Direitos Humanos e Mediação de Conflitos (Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República/ ITS-Instituto de Tecnologia Social) e em Antropologia Social e Cultural (Instituto VERITAS de Santa Catarina) ; Analista Judiciário do quadro efetivo do Tribunal de Justiça do Amazonas, Ex-Conselheiro Estadual de Direitos Humanos (Amazonas), ativista e Coordenador do Movimento AFROAMAZONAS.

Apreciador de boa música, boa bebida, boa comida, da vida noturna e da beleza feminina, pé-de-valsa convicto e cantor de videokê (mas que eventualmente dá uma “palinha” ao vivo, quando amigos músicos profissionais me veem aonde eles estão se apresentando 🙂 ).

O “Blog do Juarez” surgiu para socializar de forma mais ampla a visão crítica de um Professor Universitário e Ativista Social com ampla atuação cibernética, Juarez C. da Silva Jr., mineiro de nascimento, paulista de criação, radicado no Amazonas por total opção e cosmopolita por aspiração.

Apesar de há anos possuir um site pessoal e outros sites temáticos, o blog dada a sua característica midiática, altamente interativa e dinâmica era uma idéia recente…, que só se “materializou” a partir do acesso casual pelo Jornalista “Ex-Global” Luiz Carlos Azenha a um dos meus textos espalhados pela web e da sua posterior e envaicedora visita ao meu site pessoal e contato, quando resolvi então ativar a função blog disponibilizada pelo meu então provedor próprio o AMAZONIDA.COM.

Portanto o blog é hoje mais que um complemento ao meu site pessoal [hoje abandonado e substituído pelo facebook], é uma mudança de paradigma; pois após muito escrever (sendo os textos publicados geralmente no então SITE PESSOAL ou no AFROAMAZONAS), de “dar pitaco” em blogs e mais blogs pela web, além de atuar em comunidades do finado Orkut (em todos os casos geralmente em torno da temática étnico-racial), resolvi eu mesmo me tornar um “SELF-MEDIA” MAN (Homem de Mídia Própria),.

No momento esta é a terceira versão do Blog , a primeira com os posts mais antigos(2007) foi feita com B2EVO e não está mais acessível, este novo blog aqui foi desenvolvido utilizando o WordPress.com, atualmente o melhor e mais popular sistema de publicação blog. Aqui neste espaço continuo “exercitando” meu lado “escritor”, “crítico” e “político” (no bom sentido :-)) só que de uma forma “mais ampla”, tratando “ecleticamente” dos mais variados assuntos (apesar de não abrir mão da temática étnico-racial, combate ao racismo e todas desigualdades, assunto que será portanto recorrente por aqui) .

Os textos daqui, tem os links automaticamente enviados para a minha timeline do twitter e também tem o link e chamada publicados no meu mural do facebook.

Você que está aqui e é “leitor(a) ativo(a)” típico(a) do séc. XXI, faz conosco este espaço independente e interativo de mídia.

Anúncios

26 pensamentos sobre “Sobre o Blog e Autor

  1. Acabei de ler um texto do senhor no qual afirma que o termo “mestiço” não é válido enquanto identidade étnico-racial. Também concorda com o agrupamento das pessoas que se declaram pardas com as que se consideram pretas dentro da categoria “negros” que é socialmente lida como indentidade étnico-racial.

    É uma discussão que está fervendo atualmente. Pessoas que são miscigenadas e oficialmente “pardas” são acusadas de “negar a negritude” e compulsoriamente categorizadas como “negras” ou até mesmo “brancas”.

    Já aconteceu comigo e meu namorado na faculdade diversas vezes. Mas não encontramos espaços sérios de discussão.

    O senhor também menciona que se uma pessoa tem bisavós negros, ela é negra. E eu me pergunto: o mesmo é válido para quem tem bisavós brancos, indígenas ou asiáticos? Sabemos que, na atualidade, não. Que respeito à diversidade é esse em que precisamos todos nos identificarmos como negros? Não é o mesmo, salvo as proporções, que os brancos opressores tem feito durante todos esses anos?

    Conheço as minhas raízes e não as renego. Por isso, continuo me identificando como parda, embora isto esteja sendo manipulado, por algumas pessoas e alguns movimentos desonestos, para aumentar o poder político da população negra.

    O meu pai é branco e ninguém questiona isso. Como a leitura é matrilinear, a origem da minha é a seguinte:
    A minha avó materna é filha de uma índia com um branco enquanto o meu avô materno é filho de uma índia com preto. Logo, minhas bisávos são índias. Posso me identificar como índia? Não. Meu cabelo é liso na raiz e cacheado nas pontas, meu nariz é fino, minha boca pequena, meus olhos amendoados e minha pele é parda (tons entre o marrom, o vermelho e o amarelo). Por que tenho que me declarar negra e desconsiderar a minha ascendência indígena e até mesmo branca? Não faz sentido. Seria oportunismo, até. As minhas raízes estão expostas na figura da minha mãe que tem a pele preta avermelhada e os cabelos lisos. Sou tão negra quanto índia, por que deveria me identificar com uma única “raça” ou “etnia”? Qual a melhor opção nesse caso, professor?

    Abraços do Sudeste.

    • Grato pela visita e comentário, a resposta é simples, não sei exatamente a qual texto leu, mas existe um conceito cientificamente demonstrado pelo antropólogo Marvin Harris, que as pessoas produto de miscigenação são em TODAS as culturas agrupadas socialmente no lado menos valorizado socialmente de sua ancestralidade. Na nossa sociedade de hegemonia branca, só é branco quem não tem qualquer miscigenação, então apesar de um fato, sua origem parcial branca é um detalhe socialmente irrelevante. Indígena é uma situação Étnica, não é Índio quem não tem um nascimento e vivência cultural dentro de uma uma comunidade que mantém a identidade, como língua, tradições, costumes e a pertença, apenas descender de indígenas não faz ninguém indígena, portanto essa é uma identidade que também não pode assumir. “Mestiço” é uma inviabilidade já que biológicamente não existe raça, portanto menos ainda “mistura” do que não existe, e socialmente a hipodescendência não te deixa na “coluna do meio” vai te alocar em apenas uma parte da ascendência. Ser negro é “mais fácil” pois “aceita tudo”, não é étnico, e para ser basta ter ascendentes que foram escravizados, ou seja, tanto africanos quanto índios o foram…, portanto essa é a sua situação. 😉

  2. Juarez li um comentario seu em um blog que vc fez a alguns anos sobre o curso de direito a distancia, vc sabe
    me dizer se ja existe algum existente ou algum em andamento.

  3. Juarez, queria muito seu email para enviar um material de divulgação. Um abraço Carla Beraldo

  4. Gostei!
    Parabéns!

  5. juarez se voce tiver uma apostila sobre o sistema e – saj versao pg5 poderia mandar pra mim em meu e mail leandroduran13@yahoo.com.br obrigado

  6. Você saberia me dizer qual capinha consigo usar no genérico do grand duos? A capinha do original é um pouco menor…

    • Esse aparelho do post o I9300 apesar de ser apresentado como um “NOTE II” na realidade é praticamente um clone do DUOS…, eu usei uma capa flip do original, mas tive que retirar o case que vem nela e colar com fita face dupla direto na tampa do aparelho. ficou muito bom… 🙂

  7. Juarez , também penso em me graduar em sistema da informção. O que você acha ? Só pra complementar , eu amo informática e há algum tempo venho estudando programação .

    • Naruto, essa é uma área com alta demanda de pessoal mas vai bem além da programação, quando jovens, em geral é o período mais dedicado ao desenvolvimento de sistemas (desktop, embarcados/móveis, web)…, suporte ao usuário e treinamento também são muito legais, mas já aviso, não basta gostar de informática para se dar bem nos cursos da área, como é d área de exatas vai ter que se dar também com matemática/cálculo/estatística/elétrica e computação teórica; também tem muitas outras disciplinas não de exatas que são importantíssimas para o profissional da área como Economia, Administração, Noções de Direito, Ciências Sociais/Humanidades e em alguns cursos até Inglês, a grade varia de instituição para instituição mas é basicamente parecida, um exemplo a grade da UNIP que é instituição bem conhecida no Brasil todo:http://www.unip.br/ensino/graduacao/tradicionais/exatas_sist_informacao_grade.aspx, outro detalhe é que é uma profissão em que se passa toda a carreira como “tarefeiro” (ou seja, fazendo coisas, ao invés de “mandar fazer” e administrar, como é comum ao se ficar mais velho em outras áreas…, raros são o profissionais de TI que se tornam Gerentes/Diretores de TI, em geral esses acabam vindo de outras áreas como Engenharia/ Administração), provavelmente uns 10 anos depois de se formar já vai estar querendo mudar de área 🙂 e fazer outra faculdade…, eu não fiz, mas a maioria dos cursos que fiz depois de formado e ultimamente tem me distanciado cada vez mais da TI…, hoje sou servidor público e trabalho na área de Educação Corporativa (com EAD) dentro do Judiciário, uso muito dos meus conhecimentos em TI, mas cada vez mais o foco nela se distancia (e estou adorando isso 🙂 ), antes de me aposentar (daqui a uns 10 anos) pretendo me formar em Direito e dar mais uma guinada na vida :-).

      • Mas eu amo programar e não sou tão jovem assim (apesar do apelido , tenho 35 anos ) . Realmente já me haviam dito que teria que focar em diversas outras disciplinas , mas para mim o que importa é o amor que possuo pela informática e pretendo dedicar esse amor à profissão .

      • Sinceramente, acho que está entrando um pouco tarde na área…, pelos motivos que já expliquei, mas também por um outro, “O mercado” é em geral excludente para pessoas com mais de 30 anos (exceto para aquelas situações onde a expertise e experiência é que são buscadas, caso das chefias intermediárias e superiores, docência, assessoramento de alto nível, coisas que não dão para recém-formados…), ou seja, trabalhar sozinho/freelance não é mais um grande possibilidade na área como era no meu tempo, quando o acesso aos recursos de informática eram restritos e os profissionais idem, também não havia tanto software pronto e disponibilizado (até gratuitamente) sem contar a pirataria…, os sistemas eram feitos “sob medida” como ternos em alfaiate… e também não existia INTERNET oferecendo milhões de soluções de software livre e facilmente adaptáveis até por leigos, hoje o paradigma mudou; se você não quer ser ‘voluntário” em projetos de software livre (quase sempre situação não remunerada) ou ser desenvolvedor de DONATIONWARE (não é renda fixa nem garantida), vai ter que trabalhar empregado… ai ou você faz parte de uma equipe de uma empresa destacada em desenvolvimento, ou trabalha na TI de uma empresa que não tem a TI como atividade fim, de qualquer forma terá que passar por uma seleção (que geralmente exclui os mais velhos e valoriza os mais jovens, com “mais gás” e menor necessidade de remuneração…), a outra opção é orgão público… (mas ai em geral tem a “guerra dos concursos”…) ou por fim voltar a universidade como professor… (mas ai agora a exigência de mestrado ou doutorado, coisa rara antes, complica ainda ainda mais para quem já tem certa idade…), sugestão faça um curso superior que não leve muito tempo (os de Tecnologia de 3 anos são ótimos) e engate uma sequência de pós graduações mas em outras áreas e estude para concurso…, quando estiver formado, pós-graduado e concursado, ai sim vá fazer outras formações.

    • Juarez , você tem razão quanto ao critério de idade . Mas se eu não tentar nessa área que é carente de profissionais , realmente eu não sei em que área procurar . E pior : continuar em subemprego .

      • Hoje a área não é assim “tão carente” de profissionais, está sobrando gente, o que acontece é que faltam profissionais super-especializados em uma determinada tecnologia específica que uma ou outra empresa precisa ou quer utilizar, ou seja, as empresas ficam procurando e não encontram exatamente “aquele” profissional “pronto” que elas querem mas nem todas as outras precisam, ai o profissional fica em uma situação difícil, pois não dá para se especializar “em tudo” e nem sempre tem procura pelo que ele já domina…, tem que rezar para aparecer algo “basicão” ou que ele já domina, ou então torcer para aparecer uma empresa que tenha tempo, paciência e grana para investir em treinamento específico na ferramenta tal… (coisa rara), nos programas de trainee ou estágios ainda rola, mas em geral sempre limitam a idade nesses casos…

      • Mas você provavelmente está falando de Manaus (AM) , aqui no RJ a coisa é um pouco diferente . Acho que anda sobrando muita vaga , e tem muita empresa de telefonia carente de profissionais nesse segmento , fora outras empresas que contratam profissionais do ramo .

      • Bem Naruto, eu moro em Manaus quem tem um mercado de TI bem interessante, afinal praticamente toda a produção de eletro-eletrônicos e Motos do Brasil é feita aqui…, mas vim do Sudeste por isso conheço e acompanho a situação por ai…, Manaus além da produção tem também pesquisa e uma economia muito pujante, com tudo que tem nos grandes centros (aliás, Manaus tem o 6º maior PIB do país só perdendo para São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Brasília e Belo Horizonte…) tirando as montadoras de veículos, todas as maiores multinacionais do Brasil estão aqui…, logo é um mercado bem exigente… e o que não falta é faculdade formando novos analistas/programadores…, porém o que eu disse se aplica ao Brasil como um todo, HÁ VAGAS SOBRANDO sim, E CONTINUARÃO SOBRANDO… pelos motivos que expliquei, gente formada tem de monte, mas não atendem as especificidades das empresas, olha só situação nacional : http://info.abril.com.br/noticias/carreira/ha-dificuldade-em-contratar-profissionais-de-ti-mostra-ibge-13122012-22.shl

        As empresas não querem gente sem experiência, mas também não querem gente com mais idade, exigem experiência profissional anterior em uma tecnologia muito específica que elas precisam aplicar (mas que não se tem na formação escolar), é ai que começa o círculo vicioso…, como é que o recém-formado vai pegar experiência se não aceitam profissionais sem experiência ? e a cada oportunidade de emprego é pedido um conhecimento ou experiência diferente e que o candidato não tem ?, ai o jeito é o cara se limitar e especializar em uma área muito restrita, por exemplo programação para smartphones, o problema é, quantas oportunidades dessas aparecerão e em quanto tempo ?, quanto tempo vai se utilizar aquela tecnologia específica ? o que fazer enquanto não aparece a vaga, e depois que a mesma desaparecer ? . Imagine o que aconteceu com os programadores para PALM e NOKIA…ou os especialistas em DESKTOP DELPHI e VB… .

        Portanto o negócio é depois de formado escolher uma especialidade que não é muito comum, mas por azar pode ser também que essa não seja o que está “bombando” na demanda do momento, ai vai ter que achar outra, e outra… até se encaixar (por um tempo, pois logo tudo mudo e começa a busca outra vez).

      • Recebi orientação para ir me especializando em várias linguagens , como c , c++ , java , c# , e android . E um amigo que trabalha no Metro aqui do RJ , vai mandar meu currículo . O Metro daqui paga o treinamento do pessoal . Eu entrarei na área de informática mesmo sem saber informática para iniciar e eles vão dando o treinamento adequado . Ele disse que outras pessoas que não tem nada haver com a área de informática tem entrado assim lá no Metro e eles vem fornecendo o treinamento . Ele mesmo entrou assim e ele tem um amigo no cargo de chefia que ele entregará o currículo .

      • SORTE GRANDE, coisa rara…, então aproveita :-), algumas empresas apostam em talentos multi-disciplinares e se dão bem, e tem muita gente que não é da área mas é muito boa em TI prática, eu mesmo tenho uma colega que fez informática industrial no ensino médio, mas acabou se formando em Psicologia e adora coisas de TI, desenvolveu praticamente sozinha um sistema bem complexo para gestão das suas atividades e usando access… .

      • Eu tenho facilidade em aprender informática , principalmente programação . Sou muito autodidata . Vou comprar todos os livros sobre as linguagens que me indicaram e vou comprar vários livros sobre algoritmos e , antes mesmo de iniciar o curso de graduação , já saberei todos os fundamentos e talvez até mais !!!

  8. nesta apresentação, vc foi modesto, não colocando os dotes artisticos que possui…aos quais são muito apreciados.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s