Blog do Juarez

Um espaço SELF-MEDIA

Análise de uma fantasia sexual recorrente

1 comentário

Imagem "emprestada" de um site anti-violência contra a mulher...

Com certeza quem costuma ler meus escritos deve estar estranhando o tema, mas na realidade não estou enveredando por uma nova temática e saindo das minha temáticas costumeiras, estou apenas dando  foco em uma das muitas facetas decorrentes da questão.

Hoje pelo facebook, fui levado a um grupo de discussão que tem como intuito tratar a questão de gênero e violência contra a mulher, a imagem que ilustra o post foi “foto do grupo ” (imagem simbólica) escolhida pela mantenedora, para refletir a temática; um homem negro subjugando uma mulher branca de mãos atadas, para muita gente essa seria uma imagem “perfeitamente natural” para simbolizar  de forma genérica a violência contra a mulher, mas ficam as perguntas : 1) Seria mesmo ? , 2) Não há uma forma de preconceito e discriminação sendo utilizada na tentativa de chamar a atenção para uma outra ? .

Uma coisa é certa, a imagem em questão não foi feita para o contexto em que foi utilizada…, parece mais relacionada a uma fantasia sexual muito recorrente (basta dar uma vasculhada básica em  contos eróticos disponibilizados aos montes pela web) entre mulheres (notadamente brancas), em que as mesmas seriam raptadas, subjugadas e violentadas por homens “rudes, fortes, bem-dotados e obviamente marginais” que não por acaso seriam também negros …; mas afinal, de onde vem isso ? , quais os motivos ?; é o que tento destrinchar na sequência.

Não é preciso ser psicólogo para saber que sonhos e fantasias tem muito a ver com traumas, frustrações, medos e conceitos introjetados ao longo da vida, mas também desejos reprimidos ou não, expectativas não realizadas ou mesmo experiências positivas e negativas.

Pois bem, há quem defenda que enquanto integrante do reino animal, o ser humano não está isento da programação primária reprodutiva, os instintos animais mais elementares estão lá guardados no DNA e no fundo de nossas mentes, o que nos diferencia dos chamados animais irracionais é a capacidade de  invenção e nos pautarmos por códigos culturais e sociais muito mais elaborados, ou seja, todos temos dentro de nós “bestas-feras” (seriam os tais INNER MONSTERS a que se refere a Psicologia ?) devidamente “neutralizados” (pero no mucho…), sendo assim, o desejo de ação sexual primária e tosca é um componente natural da psique, mas sobreposto  pelo “EU elaborado” e pelo “EU moralizado” (vide o conceito de ID, EGO e SUPEREGO).

A psique  femininina primitiva foi “preparada” para  o homem primitivo, anseia por ele, mas as camadas “superiores” anseiam por outras coisas cultural e socialmente introjetadas, trocando em miúdos, mulheres buscam conscientemente por gentlemen, mas inconscientemente por trogloditas… .

É ai que entra o racismo “inconsciente”; levadas pelo contexto histórico racista que atribuiu aos negros em geral (mas principalmente aos homens) características de inferioridade moral e intelectual, mas também características físicas e de vigor exarcerbados, além de uma real marginalização a que foi submetido majoritariamente o grupo negro (gerando além de alguns marginais (criminalmente falando), obviamente uma falsa imagem generalizada e estigmatizada), muitas mulheres brancas (e também muitos homens) construiram em suas  mentes o “troglodita perfeito”, que se manifesta nas erupções do inconsciente em forma de sonhos e fantasias eróticas, ou seja, mentes com racismo introjetado, manifestam o mesmo até nos desejos mais recônditos.

Voltando então à questão do uso indequado da imagem no contexto que foi utilizada; não é correta pois boa parte (se não a maior) da violência física contra a mulher se dá no ambiente doméstico, e esse no Brasil é predominantemente endogâmico (no caso dos brancos supera 80% , ou seja, mulheres brancas majoritariamente tem companheiros também brancos),  pelo lado da violência não doméstica também não é correta, pois também não há nada que comprove (pelo menos desconheço) que a maioria dos violadores (que é o que dá a entender a imagem) sejam homens negros e as vítimas mulheres brancas (ou será que mulheres negras também não sofrem violência e homens brancos também não a praticam ? ), aceitar passivamente a “naturalidade ” da imagem no contexto em que foi utilizada, revela o quanto de mentalidade racista está introjetada em quem “não vê  nada demais”  na mesma;  por qual motivo não  se colocou um homem branco e uma mulher branca como protagonistas simbólicos ?,  ou mesmo uma mulher negra e um homem branco como vilão ? (muito mais coerente com a história de violência contra a mulher no Brasil ? ) ;  é preciso que as pessoas que combatem um determinado tipo de preconceito e discriminação, entendam, sejam solidárias e combatam todos os outros tipos também.

Autor: Juarez Silva (Manaus)

Analista de T.I, Prof. Universitário, Tít. de Especialista em Educação a Distância (Univ. Católica de Brasília), Certificação em História e Cultura africana e afrobrasileira (FINOM-MG) e em Direitos Humanos e Mediação de Conflitos (SEEDH- Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República), Mestre em História Social pela UFAM - Universidade Federal do Amazonas, Ex-Conselheiro Estadual de DH; Analista Judiciário do Quadro efetivo do Tribunal de Justiça do Amazonas. Ativista dos Movimentos Negros.

Um pensamento sobre “Análise de uma fantasia sexual recorrente

  1. Que bom, o grupo já trocou a foto por um logo bem melhor…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s