Blog do Juarez

Um espaço SELF-MEDIA

Homem negro espancado no Carrefour acusado de tentar roubar o próprio carro

45 Comentários

Carrão ? , nem pensar...

E ainda tem gente que fala em “paranóia”, “complexo”, etc…, quando a gente insiste que o racismo é uma praga viva no Brasil…, só mesmo o Ali Kamel no seu país da maravilhas (e Cia. Ltda) para  não  enxergar isso…

RACISMO e BARBÁRIE no CARREFOUR – O segurança e técnico em eletrônica Januário Alves de Santana, 39 anos, um negro, foi confundido com um ladrão e agredido por seguranças do supermercado Carrefour, em Osasco, na Grande São Paulo. Ele foi tomado como suspeito de tentar roubar seu próprio carro, um EcoSport.

A história é longa e absurdadamente revoltante, por isso não vou dar os detalhes aqui, ao invés disso estou dando o link para a excelente cobertura dada pela AFROPRESS  :  http://www.afropress.com/noticiasLer.asp?id=1965 ( já que para variar a grande mídia brasileira não publicou ou publicou completamente sem destaque e omitindo a questão do racismo),  hoje (doze dias depois) o ESTADÃO publicou na capa do caderno cidades de forma sucinta  (e como era de se esperar com pouca ênfase na questão do racismo) : http://www.estadao.com.br/noticias/cidades,acusado-de-roubar-seu-carro-cliente-e-espancado-em-mercado,421145,0.htm

Para quem insiste em dizer que a discriminação no Brasil  é “social” e não racial, estou “quase dando a mão a palmatória…”  é verdade… , quando o negro sai do seu “esteriótipo  e ‘lugar’ social ” ele “paga o preço”, afinal se ele não tivesse um carro bacana, talvez nada disso tivesse acontecido não é mesmo ???? , cansado de ter problemas por sua situação social não condizer com o “esperado” pela sociedade, a vítima já pensa em vender o “carro problemático” ; enquanto isso nos EUA negros de posses são presos dentro de suas próprias casas acusados de estar “se roubando”…, pois é e tem gente que ainda diz que a nossa situação não tem nada a ver com a dos americanos…, não tem mesmo, imagine a possibilidade do Presidente Lula chamar a vítima e os “seguranças predadores” para uma “cervejinha” no Alvorada  a fim de “pacificar” o mal entendido… .

Deus me livre de por as rodas do meu vistoso Adventure no estacionamento dessa rede…, BOICOTE JÁ.

Anúncios

Autor: Juarez Silva (Manaus)

Analista de T.I, Prof. Universitário, Tít. de Especialista em Educação a Distância (Univ. Católica de Brasília), Certificação em História e Cultura africana e afrobrasileira (FINOM-MG) e em Direitos Humanos e Mediação de Conflitos (SEEDH- Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República), Mestrando em História pela UFAM - Universidade Federal do Amazonas, Ex-Conselheiro Estadual de DH; Analista Judiciário do Quadro efetivo do Tribunal de Justiça do Amazonas. Ativista do Movimento Negro.

45 pensamentos sobre “Homem negro espancado no Carrefour acusado de tentar roubar o próprio carro

  1. Pingback: Chega de "coincidências"… | Blog do Juarez

  2. Pingback: Chega de “coincidências”…

  3. Pingback: Chega de “coincidências”…

  4. Acredito que o funcionário tenha sido racista e não a empresa, pois os funcionário que praticou o ato.
    A empresa deveria treinar de maneira adequada os funcionários.

    • Olá Michele,
      Na realidade essa não foi uma situação isolada, é comum e recorrente casos e mais casos de constrangimento a negros e negras nos mais variados tipos de estabelecimento, pois existe uma “orientação discreta” generalizada nas empresas de segurança/vilgilância, para dar “atenção especial” a visitantes com essa característica … , portanto, mais que “iniciativa pessoal” isso faz parte de uma “regra do negócio” cabendo sim às empresas de segurança (e as empresas que as contratam) a responsabilidade.

      Grato pela visita e volte sempre

  5. Acredito que o funcionário tenha sido racista e não a empresa, pois os funcionário que praticou o ato.
    A empresa deveria treinar de maneira adequada os funcionários.

    • Olá Michele,
      Na realidade essa não foi uma situação isolada, é comum e recorrente casos e mais casos de constrangimento a negros e negras nos mais variados tipos de estabelecimento, pois existe uma “orientação discreta” generalizada nas empresas de segurança/vilgilância, para dar “atenção especial” a visitantes com essa característica … , portanto, mais que “iniciativa pessoal” isso faz parte de uma “regra do negócio” cabendo sim às empresas de segurança (e as empresas que as contratam) a responsabilidade.

      Grato pela visita e volte sempre

  6. alguem tem alguma estatistica de criminalidade segregada entre as raças??
    Isso poderia explicar muitas coisas, os negros em São Paulo são mais discriminados do que os nordestinos?
    Todos sabemos o quanto a mídia é cruel ao explorar histórias para a venda de jornais e revistas.

    • Bom Mauro, os dados que se tem é sobre população carcerária e morte violenta… , veja só :

      “Negros formam o grupo racial brasileiro mais vulnerável à morte por homicídios. O estudo aponta que no ano de 2004, a taxa de vitimização desse grupo foi de 31,7 em 100 mil negros, enquanto para a população branca foi de 18,3 homicídios em 100 mil brancos. A população negra teve 73,1% de vítimas de homicídio a mais do que a população branca” (WAISELFISZ, 2006, p.58).

      Já a população carcerária é 66% negra, o que não quer dizer automaticamente que os negros cometam mais crimes, mas que são mais presos e facilmente condenados… tem um artigo interessante sobre isso em : http://aposentadoinvocado1.blogspot.com/2009/03/pobres-e-negros-e-o-perfil-da-populacao.html

      Quanto a questão dos nordestinos tem-se que observador duas coisas… a primeira é que não há uma discriminação automática e prévia de nordestinos, pois para isso é necessário que ele seja primeiramente identificado como tal… isso em principio exige que ele assim se declare ou que seja percebido pelo sotaque…, ao contrario dos negros que sofrem o preconceito “de marca” logo pela identificação visual… (ou seja muito mais fácil) , a segunda é que muitos ( e arrisco dizer que a maioria dos nordestinos de SP e RJ) são afrodescendentes…, então a discriminação é dupla….

  7. alguem tem alguma estatistica de criminalidade segregada entre as raças??
    Isso poderia explicar muitas coisas, os negros em São Paulo são mais discriminados do que os nordestinos?
    Todos sabemos o quanto a mídia é cruel ao explorar histórias para a venda de jornais e revistas.

    • Bom Mauro, os dados que se tem é sobre população carcerária e morte violenta… , veja só :

      “Negros formam o grupo racial brasileiro mais vulnerável à morte por homicídios. O estudo aponta que no ano de 2004, a taxa de vitimização desse grupo foi de 31,7 em 100 mil negros, enquanto para a população branca foi de 18,3 homicídios em 100 mil brancos. A população negra teve 73,1% de vítimas de homicídio a mais do que a população branca” (WAISELFISZ, 2006, p.58).

      Já a população carcerária é 66% negra, o que não quer dizer automaticamente que os negros cometam mais crimes, mas que são mais presos e facilmente condenados… tem um artigo interessante sobre isso em : http://aposentadoinvocado1.blogspot.com/2009/03/pobres-e-negros-e-o-perfil-da-populacao.html

      Quanto a questão dos nordestinos tem-se que observador duas coisas… a primeira é que não há uma discriminação automática e prévia de nordestinos, pois para isso é necessário que ele seja primeiramente identificado como tal… isso em principio exige que ele assim se declare ou que seja percebido pelo sotaque…, ao contrario dos negros que sofrem o preconceito “de marca” logo pela identificação visual… (ou seja muito mais fácil) , a segunda é que muitos ( e arrisco dizer que a maioria dos nordestinos de SP e RJ) são afrodescendentes…, então a discriminação é dupla….

  8. Quando no Telecentro/Liberdade estava pesquisando sobre esta noticia, a informação abaixo apareceu (fiz várias tentativas e o texto não aparece por completo devido ao propaganda instantanea de anti-fumo, até isso me deixou chocada, porque uso outras paginas ponto .COM como twitter e isto não ocorre …

    [não solicitei desbloqueio a nenhum estágiário, porém num momento desses se começa a pensar que há mais que preocupação com vírus e sim con CENSURA]

    O acesso à página:

    http://www.afropress.com/www.afropress.com

    foi negado pela seguinte razão:

    Extensão proibida: .com

    Você está vendo este erro porque conforme a Lei Municipal 14098 a página que você tentou acessar contém – ou é rotulada como contendo – material considerado impróprio.

    Se julgar que o conteúdo da página visitada não está em desacordo com a Lei Municipal 14.098/05, informe ao orientador da unidade para solicitar o desbloqueio

  9. Quando no Telecentro/Liberdade estava pesquisando sobre esta noticia, a informação abaixo apareceu (fiz várias tentativas e o texto não aparece por completo devido ao propaganda instantanea de anti-fumo, até isso me deixou chocada, porque uso outras paginas ponto .COM como twitter e isto não ocorre …

    [não solicitei desbloqueio a nenhum estágiário, porém num momento desses se começa a pensar que há mais que preocupação com vírus e sim con CENSURA]

    O acesso à página:

    http://www.afropress.com/www.afropress.com

    foi negado pela seguinte razão:

    Extensão proibida: .com

    Você está vendo este erro porque conforme a Lei Municipal 14098 a página que você tentou acessar contém – ou é rotulada como contendo – material considerado impróprio.

    Se julgar que o conteúdo da página visitada não está em desacordo com a Lei Municipal 14.098/05, informe ao orientador da unidade para solicitar o desbloqueio

  10. Pingback: Global Voices teny Malagasy » Brezila: Mba afaka hitondra fiara raitra ve ny mainty hoditra?

  11. Pingback: Global Voices teny Malagasy » Brezila: Mba afaka hitondra fiara raitra ve ny mainty hoditra?

  12. Pingback: Brazil: Can black people drive luxury cars? :: Elites TV

  13. Pingback: Brazil: Can black people drive luxury cars? :: Elites TV

  14. Pingback: Global Voices em Português » Brasil: negros podem dirigir carros de luxo?

  15. Pingback: Global Voices em Português » Brasil: negros podem dirigir carros de luxo?

  16. Pingback: Global Voices Online » Brazil: Can black people drive luxury cars?

  17. Pingback: Global Voices Online » Brazil: Can black people drive luxury cars?

  18. Prezado Juarez,

    Lendo o seu texto(aliás, muito bem escrito!), noto que sua percepção acerca do caso se deu apenas por meio das informações que foram expostas pela mídia. Desta forma, sua análise também ocorre de forma parcial e fragmentada. Não o culpo por isso, ao contrário, compreendo que a imensa maioria das pessoas( e eu me incluo nesse montante) tende a estender, de uma forma generalizada, concepções obtidas com apenas um ponto de vista. Não seria necessário ir um pouco mais a fundo no que se refere às míseras informações apresentadas para uma análise mais sensata e imparcial? De fato, nada justifica agressões ou outro tipo qualquer de violência, contudo, afirmar que tal caso é política da empresa em xeque, e que “boicotar” esta rede se faz necessário, é rotular todos os milhares de colaboradores que não participaram do caso e que, como você, desaprovam a conduta desses quatro ou cinco funcionários,de infratores ou agressores também.

    • Obrigado pela visita e comentário Fernando, mas na realidade quando escrevi o texto não foi baseado exatamente nas “parcas informações da mídia” , as referências a grande mídia foram adicionadas depois para que o leitor pudesse verificar a notícia veiculada na grande mídia e comparar com o que foi passado através da mídia especializada afro (no caso a Afropress, vide link na matéria) e também discutido em fóruns especializados; como ativista participo de redes de informação temática (via email e fóruns) em que as notícias desse tipo chegam primeiro, extremamente detalhadas , acrescidas de uma interação entre pessoas próximas do ocorrido e especialistas da temática… por exemplo, hoje já vou (infelizmente) publicar outro caso absurdo de racismo ocorrido em Bertioga no mesmo dia do caso Carrefour, na “mídia normal” ainda não saiu nada… e quando sair vai ser no estilo “míseras informações apresentadas” 🙂 , mas é isso, ainda bem que temos agora esse poder de mídia independente e alternativa que é a blogosfera. Quanto ao boicote é apenas uma ferramenta de pressão para que as coisas não fiquem como estão… , mas só isso não basta , já houve manifestação pacífica e vai haver muito mais barulho : http://www.afropress.com/noticiasLer.asp?ID=1978 , não é a primeira vez que o Carrefour se mete em casos de discriminação de todos os tipos… também não é a primeira vez que esse tipo de “mal-entendido” acontece… vide o caso do Dentista negro confundido e assassinado pela polícia anos atrás… , fora os outros que não chegam (chegavam) a mídia…

      Abração

  19. Prezado Juarez,

    Lendo o seu texto(aliás, muito bem escrito!), noto que sua percepção acerca do caso se deu apenas por meio das informações que foram expostas pela mídia. Desta forma, sua análise também ocorre de forma parcial e fragmentada. Não o culpo por isso, ao contrário, compreendo que a imensa maioria das pessoas( e eu me incluo nesse montante) tende a estender, de uma forma generalizada, concepções obtidas com apenas um ponto de vista. Não seria necessário ir um pouco mais a fundo no que se refere às míseras informações apresentadas para uma análise mais sensata e imparcial? De fato, nada justifica agressões ou outro tipo qualquer de violência, contudo, afirmar que tal caso é política da empresa em xeque, e que “boicotar” esta rede se faz necessário, é rotular todos os milhares de colaboradores que não participaram do caso e que, como você, desaprovam a conduta desses quatro ou cinco funcionários,de infratores ou agressores também.

    • Obrigado pela visita e comentário Fernando, mas na realidade quando escrevi o texto não foi baseado exatamente nas “parcas informações da mídia” , as referências a grande mídia foram adicionadas depois para que o leitor pudesse verificar a notícia veiculada na grande mídia e comparar com o que foi passado através da mídia especializada afro (no caso a Afropress, vide link na matéria) e também discutido em fóruns especializados; como ativista participo de redes de informação temática (via email e fóruns) em que as notícias desse tipo chegam primeiro, extremamente detalhadas , acrescidas de uma interação entre pessoas próximas do ocorrido e especialistas da temática… por exemplo, hoje já vou (infelizmente) publicar outro caso absurdo de racismo ocorrido em Bertioga no mesmo dia do caso Carrefour, na “mídia normal” ainda não saiu nada… e quando sair vai ser no estilo “míseras informações apresentadas” 🙂 , mas é isso, ainda bem que temos agora esse poder de mídia independente e alternativa que é a blogosfera. Quanto ao boicote é apenas uma ferramenta de pressão para que as coisas não fiquem como estão… , mas só isso não basta , já houve manifestação pacífica e vai haver muito mais barulho : http://www.afropress.com/noticiasLer.asp?ID=1978 , não é a primeira vez que o Carrefour se mete em casos de discriminação de todos os tipos… também não é a primeira vez que esse tipo de “mal-entendido” acontece… vide o caso do Dentista negro confundido e assassinado pela polícia anos atrás… , fora os outros que não chegam (chegavam) a mídia…

      Abração

  20. Minha solidariedade ao cidadão Januário Alves Santana, sua família e a todos que passam por situações semelhantes. Sou negro e sei o que é ser negro neste país. Hoje sou cidadão Aracajuano e Sergipano e idolatro a minha terra de coração pelo reconhecimento que obtive, mas nem por isto deixei de sentir na pele o mesmo que Januário passou. É preciso lutar e mostrar que nós negros somos cidadãos de bem (e de bens) e merecemos respeito das empresas e da mídia. Recomendo aos blogueiros que leiam o livro “O NEGRO NO SÉCULO XXI” de Luislinda Dias de Valois Santos, da editora Juruá, no qual consta situações adversas que os negros passam em nosso país. Importante dizer que o livro foi lançado, inicialmente, no Paraná e só agora, no dia 26 de agosto de 2009, às 19:30 será lançado na Bahia, devido a falta de apoio para lançamento na capital baiana. Ah! se puder passe meu email para Januário ou seu advogado que eu repasso matéria sobre a 1ª decisão condenando um supermercado a indenizar uma senhora, vítima do racismo e da discriminação. A sentença foi proferida por minha mãe, LUISLINDA DIAS DE VALOIS SANTOS, na década de 1990 e publicada na revista VEJA, em 06 de outubro de 1993. Por fim digo a Sra. Maria dos Remédios que não podemos esmorecer e temos que lutar, com os meios legais, para que nossos filhos não continuem a passar o que passamos. Luis Fausto

    • Obrigado Valois (por sinal esse é o nome de uma tradicional família de Juristas daqui do Amazonas), para contato com alguém próximo ao Januário, você pode contatar o Dojival Vieira, da ONG ABC SEM RACISMO e do SITE http://www.AFROPRESS.com que é quem fez a cobertura inicial e está acompanhando o caso.

      Abração !

  21. Minha solidariedade ao cidadão Januário Alves Santana, sua família e a todos que passam por situações semelhantes. Sou negro e sei o que é ser negro neste país. Hoje sou cidadão Aracajuano e Sergipano e idolatro a minha terra de coração pelo reconhecimento que obtive, mas nem por isto deixei de sentir na pele o mesmo que Januário passou. É preciso lutar e mostrar que nós negros somos cidadãos de bem (e de bens) e merecemos respeito das empresas e da mídia. Recomendo aos blogueiros que leiam o livro “O NEGRO NO SÉCULO XXI” de Luislinda Dias de Valois Santos, da editora Juruá, no qual consta situações adversas que os negros passam em nosso país. Importante dizer que o livro foi lançado, inicialmente, no Paraná e só agora, no dia 26 de agosto de 2009, às 19:30 será lançado na Bahia, devido a falta de apoio para lançamento na capital baiana. Ah! se puder passe meu email para Januário ou seu advogado que eu repasso matéria sobre a 1ª decisão condenando um supermercado a indenizar uma senhora, vítima do racismo e da discriminação. A sentença foi proferida por minha mãe, LUISLINDA DIAS DE VALOIS SANTOS, na década de 1990 e publicada na revista VEJA, em 06 de outubro de 1993. Por fim digo a Sra. Maria dos Remédios que não podemos esmorecer e temos que lutar, com os meios legais, para que nossos filhos não continuem a passar o que passamos. Luis Fausto

    • Obrigado Valois (por sinal esse é o nome de uma tradicional família de Juristas daqui do Amazonas), para contato com alguém próximo ao Januário, você pode contatar o Dojival Vieira, da ONG ABC SEM RACISMO e do SITE http://www.AFROPRESS.com que é quem fez a cobertura inicial e está acompanhando o caso.

      Abração !

  22. Concordo com a idéia do boicote ao Carrefour. Conforme meu amigo Desesperado diz em seu blog, é difícil saber quem foi mais burro, se foram os seguranças que já foram batendo sem saber exatamente o que ocorria, se foram os policiais que não lavraram o flagrante dos crimes de racismo e tortura ou se foi a administração do Carrefour, que além de contratar esses anormais para serem seus seguranças, ainda por cima alega que tudo não passou de uma “briga entre clientes”. Engraçado que apenas um cliente apanhou. E o outro? Se quiserem ver o que o Desesperado disse, acessem http://blogdodesesperado.wordpress.com Ele pegou pesado.

    • Obrigado pela visita Omar;
      Bem, hoje a coisa já mudou completamente, o Carrefour afastou seguranças, o gerente da loja e assumiu outra postura (colaborar o máximo para evitar maior desgaste) já houve manifestação pacífica na loja em questão e a coisa está caminhando , mas não para por ai, vai haver mais barulho … 50 entidades do Movimento Negro vão fazer nova manifestação : http://www.afropress.com/noticiasLer.asp?ID=1978

      Abração

  23. Concordo com a idéia do boicote ao Carrefour. Conforme meu amigo Desesperado diz em seu blog, é difícil saber quem foi mais burro, se foram os seguranças que já foram batendo sem saber exatamente o que ocorria, se foram os policiais que não lavraram o flagrante dos crimes de racismo e tortura ou se foi a administração do Carrefour, que além de contratar esses anormais para serem seus seguranças, ainda por cima alega que tudo não passou de uma “briga entre clientes”. Engraçado que apenas um cliente apanhou. E o outro? Se quiserem ver o que o Desesperado disse, acessem http://blogdodesesperado.wordpress.com Ele pegou pesado.

    • Obrigado pela visita Omar;
      Bem, hoje a coisa já mudou completamente, o Carrefour afastou seguranças, o gerente da loja e assumiu outra postura (colaborar o máximo para evitar maior desgaste) já houve manifestação pacífica na loja em questão e a coisa está caminhando , mas não para por ai, vai haver mais barulho … 50 entidades do Movimento Negro vão fazer nova manifestação : http://www.afropress.com/noticiasLer.asp?ID=1978

      Abração

  24. bom,isso não é novidade para min sou negro ,casado com uma branca de olhos verdes filha mãe branca e pai negro ,meu pai negro bisneto de portugues com escrava, minha mãe meia branca filha de europeu com indio ;resumindo esses trogloditas seguranças,devem ter sangue misto não sei o porque destes preconceitos no brasil .santa ignorancia ou melhor,burra ignorancia !

  25. bom,isso não é novidade para min sou negro ,casado com uma branca de olhos verdes filha mãe branca e pai negro ,meu pai negro bisneto de portugues com escrava, minha mãe meia branca filha de europeu com indio ;resumindo esses trogloditas seguranças,devem ter sangue misto não sei o porque destes preconceitos no brasil .santa ignorancia ou melhor,burra ignorancia !

  26. Complementando a notícia : contrariando a tradição da rede Globo em evitar a divulgação de racismo (graças ao seu Diretor de Jornalismo ALI KAMEL , autor do livro “Não somos racistas) o JN deu matéria agora a noite na íntegra, com entrevista com a vítima e a esposa, na qual os mesmos falaram abertamente sobre RACISMO, os âncoras do Jornal também falaram claramente em racismo, algo estranho está acontecendo na globo… talvez Ali Kamel esteja de férias incomunicável ou coisa melhor… , veja o video do JN : http://video.globo.com/Videos/Player/Noticias/0,,GIM1107471-7823-HOMEM+E+CONFUNDIDO+COM+BANDIDO+E+E+ESPANCADO+EM+SAO+PAULO,00.html

  27. Complementando a notícia : contrariando a tradição da rede Globo em evitar a divulgação de racismo (graças ao seu Diretor de Jornalismo ALI KAMEL , autor do livro “Não somos racistas) o JN deu matéria agora a noite na íntegra, com entrevista com a vítima e a esposa, na qual os mesmos falaram abertamente sobre RACISMO, os âncoras do Jornal também falaram claramente em racismo, algo estranho está acontecendo na globo… talvez Ali Kamel esteja de férias incomunicável ou coisa melhor… , veja o video do JN : http://video.globo.com/Videos/Player/Noticias/0,,GIM1107471-7823-HOMEM+E+CONFUNDIDO+COM+BANDIDO+E+E+ESPANCADO+EM+SAO+PAULO,00.html

  28. Isto é um absurdo.
    Inaceitável!!
    O racismo é uma realidade social no Brasil.
    Mas como vc disse a mídia coloca a sujeira debaixo do tapete para não trazer à evidencia esta triste realidade.

  29. Isto é um absurdo.
    Inaceitável!!
    O racismo é uma realidade social no Brasil.
    Mas como vc disse a mídia coloca a sujeira debaixo do tapete para não trazer à evidencia esta triste realidade.

  30. Boicote já…..

  31. Boicote já…..

  32. QUERO MANIFESTAR MEU REPUDIO Á ESSA EMPRESA, QUE É RACISTA, E SE NÃO É, PElAS SUAS ATITUDES DEMONSTROU SER .REPUDIO TOTAL.
    QUE PENA, ATÉ TINHA UMAS PROMOÇÕES BOAS…
    QUE PENA!!!
    MAS NÃO QUERO APANHAR, ENTÃO….
    MELHOR NAO FREQUENTAR.

  33. QUERO MANIFESTAR MEU REPUDIO Á ESSA EMPRESA, QUE É RACISTA, E SE NÃO É, PElAS SUAS ATITUDES DEMONSTROU SER .REPUDIO TOTAL.
    QUE PENA, ATÉ TINHA UMAS PROMOÇÕES BOAS…
    QUE PENA!!!
    MAS NÃO QUERO APANHAR, ENTÃO….
    MELHOR NAO FREQUENTAR.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s